[CDZ] Aiolos de Sagitário


  • ORIGEM DO NOME

Do grego, Ágil. Nome grego de Éolo, o deus dos ventos.

Apesar de seu nome ser escrito Aiolos, com “L”, em muitos lugares (inclusive na edição brasileira da Enciclopédia Oficial de Cavaleiros do Zodíaco), o correto é Aioros, com “R”. Isso fica evidente na página 84 da edição 18 da publicação brasileira do mangá Cavaleiros do Zodíaco. Observa-se claramente que a assinatura do Cavaleiro de Sagitário, escrita em grego, é “AIOROS” e não “AIOLOS”. É possível que a confusão tenha acontecido em virtude da semelhança de grafia e de pronúncia entre os nomes Aioros e Aiolia, que em japonês é pronunciado Aioria, apesar de ser escrito com “L”. Então é possível que tenha sido atribuído ao nome “Aioros” o mesmo caso do nome Aiolia e Milo.

  • HISTÓRICO

Sucessor do Cavaleiro do ano de 1744, Sísifo de Sagitário. Aioros de Sagitário é o principal responsável pelas batalhas que Seiya, Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki tenham enfrentado e vencido, pois foi sua atitude que desencadeou a guerra contra o Mal no Santuário.

Há 13 anos (quando tinha 14 anos), Aioros já era um poderoso Cavaleiro de Ouro e havia passado por inúmeras batalhas (relatadas no Episódio G). Retornava para a Grécia, sua terra natal, para treinar seu irmão Aiolia e reencontrar o, na época, seu melhor amigo Shura de Capricórnio. Ao visitar o Grande Mestre, percebeu que o mesmo tentava matar um bebê, que na verdade era a reencarnação de Atena, que vinha à Terra a cada 200 anos.

Então, Aioros salvou o bebê Atena da tentativa de assassinato por parte do Grande Mestre, que na verdade era o traidor Saga de Gêmeos e fugiu. Depois da fuga de Aioros, Saga alertou a todos no Santuário sobre o ocorrido e acusou o Cavaleiro de Sagitário de traição. Aioros tentava escapar na noite, mas, nos arredores do Santuário, acaba sendo encontrado por Shura de Capricórnio.

Acreditando fielmente nas palavras do falso Grande Mestre, o cavaleiro de Capricórnio decide dar fim à vida de Aioros. O cavaleiro de Sagitário é acertado no braço pela Excalibur de Shura, e tenta fugir. O Cavaleiro de Capricórnio usa Excalibur nas pernas de Aioros, para imobilizá-lo, mas o Cavaleiro de Sagitário, com agilidade, se joga na frente do golpe, e o golpe acabou atingindo seu peito. Ele usou o sangue para enganar a Shura e aos soldados do Santuário, assim podendo fugir sem machucar nenhum de seus agressores por saber que foram enganados por Saga.

Aioros encontra Mitsumasa Kido, e lhe entrega Atena e a urna com a Armadura de Sagitário. Após fazer isso ele morre, mas seu corpo jamais fora encontrado. Treze anos após isso acontecer, começa a Saga do Santuário.

Mas, mesmo morto, sua alma continua a controlar sua Armadura de Sagitário com seu poderoso cosmo, sempre ajudando os Cavaleiros de Atena nos momentos críticos. Emprestou-a a Seiya durante a luta contra seu irmão Aiolia de Leão, Poseidon e com Thanatos, além dos filmes que a emprestou para derrotar todos os deuses maléficos. Ele pode ser considerado um verdadeiro exemplo de Cavaleiro de Atena por continuar a protegê-la, bem como a ajudar seus companheiros, mesmo após a morte.

No Episódio G, que narra as batalhas dos 12 Cavaleiros de Ouro durante seu treinamento, Aiolos de Sagitário realiza feitos notáveis, como selar Tífon e superar o cosmo de Rá. É citado por Mu de Áries como sendo um dos Cavaleiro de Ouro mais poderosos de toda a história, embora seja uma controvérsia com o princípio da própria obra de que os Cavaleiros de Ouro se equivalem e as batalhas entre si durem 1.000 dias. A Batalha de Mil dias acontece quando os Cavaleiros de Ouro entram em combate convêncional. Para a batalha terminar eles utilizam seus golpes especiais, como no capítulo em que Aiolia enfrenta Shaka na frente de Kyoukou (Grande Mestre). A Armadura de Sagitário é diferente das outras, pois é conhecida por seu poderoso Arco e Flecha. Dizem que a Flecha Dourada só pode ser apontada para um verdadeiro mal, e que ela nunca se voltará contra a justiça. Prova disso é que o seu poder já coseguiu destruir deuses maléficos, um terrível monstro, e, reunindo os cosmos dos demais Cavaleiros de Ouro, até derrubou o Muro das Lamentações. Certos rumores dizem que a Flecha de Sagitário é capaz de destruir até mesmo Zeus, deus do Olimpo. Há casos em que o seu poder é canalizado nos cosmos das pessoas ao seu redor.

Foi também ela que mostrou o testamento de Aioros aos cavaleiros de bronze, na casa de Sagitário, sendo assim, um símbolo da esperança: “Οι νέοι άνθρωποι που φτάνουν εδώ, τη φροντίδα τους εμπιστοσύνη Αθηνά” que numa tradução ao português significaria “Aos jovens que aqui chegarem, confio Atena aos seus cuidados”.

Por causa do motivo de sua alma está ligada a sua armadura, ele não foi selado como Shion de Áries e os demais Cavaleiros de Ouro na Saga do Céu – Spoiler.

  • HABILIDADES DE LUTA

Um Cavaleiro admirado por todos da mesma forma que Saga, por isso era o outro forte candidato a Grande Mestre. Além das habilidades de luta, tinha excelente personalidade, caráter, humildade, grande senso de justiça.

  • GOLPES

Trovão Atômico (Atomic Thunderbolt): Golpe em que Sagitário concentra uma grande energia em uma das mãos e a dispara contra o adversário na forma de uma rajada reluzente (semelhante a um trovão). Esta é formada de centenas de outras finas rajadas que golpeiam o inimigo várias vezes. Golpe que se assemelha ao Relâmpago de Plasma de Aiolia, seu irmão. Exclusivo do anime, em outras palavras o golpe assemelha-se a uma mistura do Relâmpago de Plasma (Lightning Plasma) e Cápsula do Poder (Lightning Bolt) ― ambas técnicas de Aiolia ―, o que o torna extremamente poderoso.

Flecha da Justiça (Justice Arrow): Principal golpe do Cavaleiro de Sagitário. Pode ser usado de duas formas:

1ª. Aiolos arma seu arco e concentrando o seu cosmo e os daqueles que foram mortos pelo adversário, lança sua flecha dourada contra o mesmo. Ao atingí-lo, libera uma enorme quantidade de energia de maneira devastadora e até mortal. É um ataque que destruiu inúmeros deuses (Phantasos, Icelos, Morfeus e Oneiros, os 4 Deuses dos Sonhos, filhos de Hypnos, no The Lost Canvas, além de Éris, Abel e Lúcifer na era atual). No Episódio G Aiolos usa esse golpe para destruir Tífon (do grego, tufão) usando o seu cosmo e os das pessoas mortas pelo deus;

2ª. Concentrar uma grande quantidade de cosmo-energia em seu arco e lançar milhões de flechas de luz com um grande poder explosivo, esta é a finalidade do golpe. Ao atingir os inimigos, suas armaduras são instantaneamente transpassadas, levando-os à morte. Sísifo de Sagitário (antecessor de Aiolos no The Lost Canvas em 1744) usou essa variação para conter um ataque de Aiacos. Esse ataque pode ser feito livremente nos combates.

Destruição Infinita (Infinity Break): Golpe em que Aiolos usa de seu cosmo para criar vários feixes de luz que atravessam o adversário sob a forma de bilhões flechas de luz (cada uma delas ultrapassa 1.000.000°) que vão em plena velocidade da luz, destruindo tudo ao menor contato. É impossível desviar desse golpe, pois atinge toda a área ao redor sem deixar a menor brecha. Uma vez que o inimigo fica ao alcance desta técnica, é quase impossível sobreviver. Este golpe aparece apenas na publicação Saint Seiya Episódio G onde Aiolos a usa para derrotar um exército inimigo do deus Rá e posteriormente para lutar contra seu amigo Garan.

Impulso de Luz de Quíron (Quíron’s Light Impulse): Técnica de Sagitário, onde o cavaleiro cria um gigantesco turbilhão de vento dourado que se transforma em uma verdadeira tempestade de ventos. Aquele que domina este golpe pode lançá-lo por toda a área ou concentrá-lo em um único ponto, aumentando a sua potência e tornando-o fatal. Sísifo de Sagitário usou essa técnica para extinguir as chamas criadas por Aiacos de Garuda quando este tentava destruir o navio que, movido pelo Oricalco, seria usado pelos Cavaleiros de Atena para invadir o “Lost Canvas” no céu e enfrentar o Imperador Hades.

  • COMBATEU

O exército de Rá, Tífon, Garan, Saga de Gêmeos e Shura de Capricórnio.

  • VENCEU

O exército de Rá, Tífon e Garan.

  • DERROTADO

Na verdade, Aiolos sofreu ataques de diversos Cavaleiros durante sua fuga para proteger Athena – inclusive do Mestre do Santuário, Saga de Gêmeos, tendo como último adversário Shura de Capricórnio. Mesmo sem sua armadura não enfrenta Shura, pois a deusa Athena está na sua linha de ataque (cena facilmente identificada pelo próprio Shura). É atacado pela Excalibur do capricorniano (que queria imobilizá-lo atingindo-lhe as pernas) se jogando no golpe para posteriormente enganar seus perseguidores usando seu próprio sangue – mesmo assim sobrevivendo depois tempo suficiente para cumprir sua missão de encontrar um lugar seguro para a deusa. Posteriormente, também, sacrificou-se junto aos demais Cavaleiros de Ouro para destruir o Muro das Lamentações.

Publicado em 7 de agosto de 2011, em Anime, Cavaleiros de Atena, Cavaleiros de Ouro, Saga do Santuário, Saint Seiya - Clássico e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s