Masami Kurumada


Masami Kurumada (車田正美, Kurumada Masami) nasceu na cidade de Tóquio, no dia 6 de dezembro de 1953. É do signo de Sagitário e possui atualmente 58 anos.


Fã de mangakás como Mitsuteru Yokoyama (autor de Robê Gigante) e de Sampei Shirato (autor de A adaga de Kamui), Kurumada, em sua adolescência, costumava “alugar” mangás para ler, tendo como estilo preferido o Gekigá (nome do estilo de mangá para público adulto mais violento, e com um traço mais sério). Fã de Takao Saitô (autor de Golgo 13), um grande representante desse estilo, Masami, que também apreciava o trabalho de Osamu Tezuka, o estilo predominante da época, com seu traço mais redondo, teve influência dos dois. E o resultado disso foi Saint Seiya.
O primeiro trabalho de Kurumada foi Otoko Raku, que lhe rendeu um prêmio num concurso de mangá por mangaká aspirante. Logo depois, se tornou assistente de mangakás profissionais.


Masami Kurumada sempre mostrou vocação para desenhar mangás. Iniciou carreira profissional em 1974 com Sukeban Arashi, publicado na poderosa revista Shonen Jump da editora Shueisha. Se tratava de um mangá de banchôs (chefe de gangue), que conta os problemas de uma jovem adolescente chamada Rei Kojinyama. Um dia em sua classe chega uma nova aluna vinda de Tóquio e filha do milionário Ayakoji. Shizuka Ayakoji é filha única e esta sempre acompanhada por seu guarda-costas Toudo, cujo circunstâncias do passado o colocou ao lado de Shizuka. Desde o início e por causa da elegância de Shizuka, Rei não se dá muito bem com ela. Entre inúmeras aventuras e disputas o mangá segue cheio de ação, risos e sofrimento. Era uma história de estudantes foras-da-lei ou de delinquentes, e de uma garota brigona.


Logo depois veio seu primeiro sucesso, Ring ni Kakero (1978 – 1983), lançado novamente pela Shueisha. Conta a história de Takane Ryuji, um jovem que luta para ser um grande boxeador profissional, mas que para poder conseguir vencer esse desafio, primeiramente ele precisa vencer seu antigo rival, Kenzaki Jun, que é conhecido por todos como o “gênio” do boxe, um lutador que dizem superar até mesmo um profissional. Takane Ryuji conta com a ajuda de sua irmã, Takane Kiku, uma jovem que herdou o senso de boxe do seu pai, e com isso eles treinam intensamente para poder conseguir conquistar esse sonho e também para poder rever a sua querida mãe. Sendo um estouro de vendas, Ring ni Kakero totalizou 25 volumes encadernados.

Em 1982, publicou Fuuma no Kojiro, conta a saga de Kojirō e mostra a disputa entre o clã do herói, a Família Fūma, contra a Família Yasha. O que está em jogo é uma espada mágica com poderes místicos e a segurança do próprio Clã dos Fūma. Mas seu grande sucesso foi publicado apenas em dezembro de 1986: Saint Seiya!


Saint Seiya conta a história de cinco Santos de Bronze: Seiya, Hyoga, Shun, Shiryu e Ikki que lutam para proteger a reencarnação de Atena (Saori Kido) e a Terra, contra o domínio de outras divindades que desejam a qualquer custo exterminar a raça humana. Saint Seiya veio a se tornar a obra prima do autor e também um sucesso mundial.


Depois do sucesso de Saint Seiya, a parceria de Masami Kurumada com a Shueisha foi desfeita, ele então passou a trabalhar com outra editora, onde publicou, em 1994, a grande série B’t X. B’t X conta a história de Teppei Takamiya, um jovem capataz de uma fazenda localizada na ilha Kamui, ao norte do Japão. Seu irmão mais velho, Kotarou Takamiya, deixou o Japão para estudar robotica na Alemanha e se tornou um dos mais importantes cientistas do mundo.

Kurumada era um praticante de artes marciais na sua juventude, e isso teve influência em suas obras, como ele mesmo já declarou em certa ocasião:

“Todas as histórias que faço são de lutas. Essa essência não se altera nos mundos que crio. A única diferença está no tempero, no algo mais.”


Assim como muitos mangakas hoje em dia, Kurumada usa um estilo baseado no sistema de personagens principais fixos criado por Osamu Tezuka, que é essencialmente um rearranjo de um grupo de personagens nas suas várias obras (personagens mantêm a mesma aparência e personalidade, mas às vezes o autor os dá novas personalidades e uma participação diferente em relação a outras obras). Por esse motivo, os personagens principais de suas obras, na maioria das vezes, se parecem de alguma maneira com Takane Ryūji, o protagonista de Ring ni Kakero. Bons exemplos desse fato são: Kikukawa Jingi (Otoko Zaka), Kojirō (Fūma no Kojirō), Seiya (Saint Seiya), Takamiya Teppei (B’t X), Shō (Silent Knight Shō), Tendō Aoi (Aoi Tori no Shinwa), Kenzaki Rindō (Ring ni Kakero 2), entre outros.


Seu estilo de desenho é muito clássico, e lembra a estética do mangá mais predominante nos anos 1960 e 1970. Embora muitas vezes considerado como uma falha constante em sua arte, seus traços se mostram inconsistentes e com desequilíbrio de proporção, mas estão adequedos à estética da qual vem suas inspirações. Muitas vezes ele desenha seus personagens como se fossem vistos por uma perspectiva de baixo. Os detalhes em seus desenhos são executados com perfeição, as roupas, ilustrações, animais, cenários, são elaborados, ricos e elegantes. Seu estilo de colorização é quase exclusivamente realista, ao contrário da grande maioria dos artistas de mangá, que muitas vezes recorrem ao uso de cores não-naturais para o cabelo ou os olhos, Kurumada prefere uma colorização mais humana.

 
Seu estilo possue muitos elementos gráficos que o caracteriza e que são encontrados em todos os seus trabalhos, principalmente nas seqüências de luta. Fãs criaram termos para se referir a eles, tais como Kurumada-ochi (車田), que significa “Queda Kurumada”, e designa as cenas típicas dos personagens caindo de cabeça além da Kurumada-futtobi (車田), significando “Tapão Kurumada”, que refere-se aos personagens que são projetadas para o alto pelos adversários.

 
Outros temas recorrentes em suas obras são a coragem, amizade e sacrifício, considerados pelo Mestre como virtudes masculinas, assim como honestidade e honra. Seus personagens femininos quase sempre desempenham um papel muito menor, mas várias personagens com papéis-chave também podem ser encontradas, como o Rei Kojinyama (Sukeban Arashi), Takane Kiku (Ring ni Kakero) e Saori Kido (Saint Seiya).

 
As obras de Kurumada têm tido influência para autores de mangá e mídias relacionadas. Digno de menção é Yudetamago (Kinnikuman), Kawamoto (Hiroshi), Tenku Senki (Shurato), Clamp (Magic Knight Rayearth), Kōichi Tokita (Mobile Fighter: G Gundam), Ryuichi Hoshino (Samurai Troopers Yoroiden), Yoshihiro Togashi (Yuyu Hakusho), e em games como “The King of Fighters”, entre outros. Referências as suas obras nos trabalhos de outros autores podem ser encontradas no game mencionado e em mangás populares, tais como Kosuke Fujishima ( Ah! Megami-Sama), Kenjiro Hata (Hayate no Gotoku), Chika Umino (Honey and Clover) , Tite Kubo (BLEACH), entre outros. Seus fãs são geralmente referidos como “Masamists” ou “Kurumadetes”.

PRINCIPAIS MANGÁS:

Sukeban Arashi (1974 e 1975)

Ring ni Kakeru (25 Volumes publicados entre 1977 e 1981)

Jitsuroku! Shinwa (1979 e 1983)

Fuhma no Kotaro (10 Volumes publicados entre 1982 e 1986)

Raimei no Zaji (1983 e 1988)

Otoko Zaka (3 Volumes entre 1984 e 1985)

Saint Seiya (28 Volumes publicados entre 1986 e1990)

Silent Knight Sho (2 Volumes publicados em 1992)

B’t X (16 Volumes entre 1994 e 2000)

Site Oficial

Publicado em 29 de julho de 2012, em SSPerfil. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s