Arquivo da categoria: Saint Seiya: O Santo Guerreiro

[Saint Seiya, O Santo Guerreiro] Confira a capa do DVD japonês do Super Musical


[Saint Seiya: O Santo Guerreiro] Novas Informações Sobre o Super Musical


Um SITE OFICIAL  foi lançado para divulgar informações sobre o novo musical dos Cavaleiros do Zodíaco. Conforme já divulgamos, este musical será baseado no Filme da Éris, será lançado no dia 28 de Julho de 2011, com seções até 31 de Julho de 2011, e poderá ser assistido pela Internet. Alguns atores já foram confirmados.

  • Ken Hutoshi: Seiya de Pégaso
  • Maho Tomita: Saori (Atena)
  • Yuzawa Kouitirou: Éris

[Saint Seiya: O Santo Guerreiro] Primeiro filme ganha musical


Uma nova versão musical do primeiro filme de Cavaleiros do Zodíaco será apresentada entre 28 e 31 de julho no teatro Space Zero em Shibuya, Tóquio. O dublador Kenta Kamakari (Dino em Katekyo Hitman Reborn!), que também já atuou nas versões musicais de Air Gear e Prince of Tennis, irá interpretar o personagem Seiya de Pegasus.

Quem não puder comparecer ao evento poderá acompanhar através do site Nico Nico Douga, que também vai requisitar uma taxa aos interessados. Os ingressos estarão à venda a partir do próximo mês e serão anunciados juntos aos nomes dos outros integrantes do musical.

O primeiro filme da franquia, chamado de Saint Seiya Gekijoban (O Santo Guerreiro, no Brasil), foi lançado em 1987 nos cinemas japoneses, cujo tema original foi executado pelo grupo japonês MAKE.UP. O filme é, basicamente, uma continuação das histórias dos mangás, sendo considerado um dos mais marcantes da série.

[Saint Seiya: O Santo Guerreiro] Informações Especiais do Filme


Em 1987, devido ao grande sucesso da série Cavaleiros do Zodíaco, a Toei Animation lançou o primeiro especial estrelado pelos valorosos defensores de Atena.

O especial foi chamado de “Saint Seiya Gekijôban”, que seria “Saint Seiya – O Filme”. Posteriormente, com o lançamento do Movie Box (um Box com DVD especiais dos quatro filmes remasterizados) esse longa-metragem recebeu outro título: “Jashin Eris” – o que traduzido seria algo como “Éris, Deusa da Discórdia”. No Brasil, o longa ficou conhecido apenas com o nome original do desenho, Saint Seiya, que traduzindo significa “Seiya, o Santo Guerreiro”.

Detalhe importante é que essa aventura inédita faz parte do primeiro ano dos Cavaleiros do Zodíaco, onde eles enfrentam a nova ameaça maléfica com suas armaduras originais.

Como é marca registrada das aventuras de Seiya e seus companheiros, suas histórias sempre têm um embasamento na mitologia, por mais superficial que seja. A história de “Éris, Deusa da Discórdia” não foge à regra e para que vocês não fiquem boiando apresentamos agora uma história mitológica da deusa Éris.

A deusa era irmã de Ares (todos os filhos de Zeus são irmãos, então, Atena é irmã até do Ares e da Éris, mitologicamente falando) e também uma de suas companheiras. Éris é conhecida como a mãe das dores, do esquecimento e da fome. É daí que surge sua denominação de deusa da discórdia.

Os deuses haviam se reunido para acompanhar as núpcias entre Tétis e Peleu, quando surge Éris e atira entre os deuses a maçã de ouro destinada à mais bela entre as três deusas: Atena, Afrodite e Hera. Os deuses negaram a responsabilidade da escolha. Sobrou para Páris executar a escolha. Cada uma das deusas agiu em causa própria: Hera prometeu a Páris o Império da Ásia se fosse a escolhida; Atena ofereceu-lhe a sabedoria e a vitória nos combates; Afrodite prometeu-lhe o amor de Helena, a espartana que é considerada a mais bela de todas as mulheres do mundo.

Como o tal do Páris não era bobo nem nada, escolheu Afrodite como a mais bela das deusas. O problema é que esse evento desencadeou simplesmente a Guerra de Tróia, após o casamento entre Páris e Helena, e tudo por causa da maçã de Éris, que fez juz ao seu título de deusa e semeou a discódia.

[Saint Seiya: O Santo Guerreiro] Resumo do filme


  • No Orfanato

Tudo começa em um dia descontraído no orfanato Filhos da Estrela. Akira está brincando com seu avião de brinquedo e mas Makoto pega o avião e ataca longe. Akira resolve correr atrás de seu avião, em meio aos carros que passam em alta velocidade pela rua. A tragédia seria consumada caso Hyoga não aparecesse para deter um carro que iria de encontro ao pequeno Akira. Entretanto, uma das melancias que Hyoga carregava acaba sendo atropelada pelo carro.

Shun e Seiya distraem a criançada enquanto rola a maior paquera entre Hyoga e Eiri, ajudante de Minu na instituição. Já a noitinha, Hyoga e Eiri vão ao cais para conversar. Durante sua conversa com a bela moça loira, o Cavaleiro de Cisne se deslumbra com uma estrela cadente. Esse é o presságio para os eventos que virão logo em seguida. De dentro da estrela que rasgava os céus foi jogado um objeto: era a maçã de ouro. Instantaneamente os olhos da meiga Eiri se petrificaram. Hyoga se despediu da moça e foi se recolher, mas ela seguiu em direção da “maçã cadente”. Finalmente a maçã tocou o solo de uma montanha onde se ergueu o Santuário da deusa da discórdia. Eiri, hipnotizada, segue em direção ao Santuário. A cada passo a essência da deusa domina seu corpo.

No dia seguinte, em meio ao bosque, surge Saori cavalgando ligeiramente ao encontro de Eiri. Ao encontrá-la, a líder dos Cavaleiros de Bronze tem uma surpresa: aquela meiga moça já havia sido totalmente encorporada por Éris.

A deusa má quebra a perna do cavalo em que Saori cavalgava. Saori cai e imediatamente é levada para o novo Santuário das Trevas. Éris, já em seu Santuário, prende Saori em um tipo de cruz de pedra e atira junto ao coração da deusa Atena a maçã de ouro. Essa maçã não é fincada no peito de Saori porém ela tem o poder de sugar as forças da deusa e se alguém não salvá-la ela morrerá.

  • Novo Desafio

Éris, ao lançar sua maçã de ouro contra o coração de Saori, enviou também um desafio para Seiya, Shiryu, Hyoga e Shun: eles teriam de proteger sua líder. Para tanto, Éris mandou junto com o desafio a localização do novo Santuário. A deusa ressuscita os temidos Cavaleiros Fantasmas, seus servos e seguidores. São eles: Jaga de Orion, Orfeu de Harpa, Kraisto do Cruzeiro do Sul, Yan de Escudo e Maiya de Sagita. Esses cinco Cavaleiros terão a missão de eliminar Seiya e seus amigos, que tentarão salvar Saori.

Os quatro Cavaleiros de Bronze chegam ao local demarcado e se separam para facilitar o acesso até a sala onde Saori está presa.

  • Seiya contra Maya de Sagita

No pé da montanha, onde se localiza o Santuário de Éris, o Cavaleiro Fantasma Maiya de Sagita encontra o Cavaleiro de Bronze Seiya de Pégaso. Tem início o combate. Maiya e Seiya trocam golpes no ar mas como não há muito tempo, o Cavaleiro de Pégaso tem de agir rapidamente. Seiya ataca Maiya que se utiliza de seus poderes para que os meteoros de Pégaso dissipem sua força. O Cavaleiro Fantasma prepara seu contra-ataque. Maiya ataca Seiya com suas Flechas Envenenadas (esse cavaleiro é semelhante a outro personagem do desenho, o Tremy de Flecha). O golpe de Maiya são centenas de flechas fantasmas que se materializam. Seiya é jogado para trás pela força do ataque do Cavaleiro de Sagita, que mira suas flechas na cabeça de Seiya. Maiya ataca Seiya novamente, desta vez o defensor de Atena é mais ligeiro e anula as flechas fantasmas com seus meteoros até atingir seu adversário. O Cavaleiro Fantasma é vencido, mas Seiya acaba sendo atingido por uma das flechas de Maiya bem abaixo do coração. O ferimento não parece ser muito grave e o Cavaleiro de Bronze prossegue sua busca.

  • Hyoga contra Kraisto de Cruzeiro do Sul

O Cavaleiro de Cisne encontra uma entrada por baixo do Santuário. Ao entrar pela passagem, chega a um anti-cômodo abaixo do Templo de Éris. Lá, encontra mais um dos Cavaleiros Fantasmas: Kraisto do Cruzeiro do Sul. Não há tempo para ficar conversando e os dois Cavaleiros partem logo para a briga. Hyoga aplica seu Pó de Diamante ao mesmo tempo que Kraisto ataca com seu Trovão do Cruzeiro do Sul. O golpe de Kraisto vara o peitoral da armadura de Cisne. Mesmo atingido, Cisne consegue congelar seu inimigo até o pescoço. Quando Hyoga preparava-se para eliminar o Cavaleiro Fantasma, surge Éris com seu tridente. O Cavaleiro de Bronze fica perplexo ao reconhecer aquela que um dia foi Eiri, por quem nutria profundos sentimentos. Infelizmente quem estava a sua frente era a perversa Éris. Enquanto Hyoga ainda estava em estado de choque, Kraisto se livra do gelo que recobria seu corpo e joga o defensor de Atena longe e já pula para cima dele. Para a surpresa de todos, Éris ataca seu tridente que perfura o Cavaleiro Fantasma pelas costas até rasgar o peito de Cisne, supostamente matando os dois. Após mais esse ato de maldade, Éris vira as costas e vai embora do local.

  • Shiryu contra Yan de Escudo

Seiya continua sua subida até onde está Saori, mas o Cavaleiro começa a sentir os efeitos da Flecha Envenenada de Sagita, que o atingiu. Seiya está meio tonto, desnorteado, mas segue em sua santa cruzada. Em outro local do Santuário de Éris é a vez de Shiryu enfrentar o Cavaleiro Fantasma Yan de Escudo. Esse Cavaleiro assemelha muito ao Cavaleiro de Dragão. Yan tem cabelos longos e sua armadura de Escudo dispõe de um poderoso escudo (que é do tamanho de todo o braço esquerdo dele). O escudo de Yan é mesmo poderoso, pois logo no primeiro ataque de Shiryu seu punho acaba sendo destruído. Em seguida Yan dá uma giratória que despedaça o escudo do Cavaleiro de Dragão. Nessa altura, Shiryu já tirou sua armadura e Yan está certo da vitória, mas o Cavaleiro treinado pelo Mestre Ancião surpreende seu adversário ao aplicar-lhe o Cólera do Dragão. Shiryu atravessa o coração do Cavaleiro Fantasma que cai morto no mesmo instante.

  • Shun contra Orfeu de Harpa

O Cavaleiro de Andrômeda continua escalando as ruínas do Santuário. Shun é atraído pela música de uma harpa. É Orfeu de Harpa que toca o instrumento musical à espera do Cavaleiro de Bronze. Enquanto Shun fica parado, Orfeu ataca. Seu golpe é disparado através das cordas de sua harpa, que se multiplicam e invadem o corpo do Cavaleiro de Atena. Quando Shun está prestes a desfalecer degolado, surge Ikki para salvar a pele do irmãozinho. Era melhor Orfeu ficar na dele, mas para a sua infelicidade, ele deixou o Cavaleiro de Fênix irado e levou o Golpe Fantasma, provocando alucinações nem um pouco agradáveis – o Cavaleiro de Harpa se vê queimando vivo no inferno.

Para a surpresa de Ikki, Orfeu se reestabelece e explica que o golpe do Cavaleiro de Fênix não surte efeito nele, afinal ele é um Cavaleiro Fantasma. Pior para o servo de Éris pois, agora Ikki o ataca com seu Ave Fênix e não sobra muito do Cavaleiro maligno para contar a história.

  • O Encontro com Éris

Seiya chega até a sala onde Saori está presa. Lá está Éris que agora se materializa em seu próprio corpo e dispensa o da meiga Eiri, que cai desacordada. O Cavaleiro de Pégaso continua sofrendo com o ferimento feito por Maiya e pior, ele terá que vencer mais um Cavaleiro Fantasma, Jaga de Orion. A luta mais uma vez se inicia. Seiya não tem visão perfeita por causa da flecha de Maiya, o Cavaleiro de Bronze nem consegue acertar seus meteoros no Cavaleiro Fantasma. Como é de costume Ikki aparece e compra a briga. Agora temos um combate de verdade. O Cavaleiro de Fênix dá um poderoso golpe aéreo em seu inimigo mas logo em seguida Ikki é atingido bem na cabeça e Jaga no estômago. A pancadaria não termina. Ikki dispara, contra Jaga, seu Ave Fênix em meio ao furacão de fogo, mas surpreendentemente, o Cavaleiro de Orion retruca com seu mais poderoso golpe, o Choque Megatômico de Meteoros. Ele se utiliza da própria energia do golpe desferido por Fênix, fazendo o mais velho dos Cavaleiros de Bronze voar longe e tombar desacordado.

Neste momento Seiya se levanta, mas não por muito tempo. O Cavaleiro de Pégaso é espancado por Jaga. Despertado pelo Cosmo de seus amigos, Seiya se levanta revoltado e logo trata de queimar seu Cosmo ao extremo atingindo o Sétimo Sentido. Ao atingir o sentido supremo dos Cavaleiros de Ouro, surge a Armadura Sagrada de Sagitário para auxiliar Seiya no combate. A deusa da discórdia conta seus planos de domínio da Terra e a imposição de seu império de Cavaleiros Fantasmas que se levantam de suas covas por ordem da malvada Éris. O Cavaleiro de Pégaso, trajando a Armadura de Sagitário, parte para cima de Éris, mas é impedido por Jaga. O Cavaleiro de Orion ataca Seiya com seu Choque Megatômico de Meteoros que é facilmente repelido pelo santo guerreiro, graças à poderosa Armadura de Ouro. Na sequência, Seiya manda Jaga de volta para o mundo dos mortos com um poderoso Cometa de Pégaso que despedaça o seguidor da deusa maléfica. Saori está quase morta. Éris continua a despertar cadáveres que levantam de seus caixões. Não há outra saída, Seiya tem que agir. O destemido guerreiro saca o arco e flecha de Sagitário e dispara a flecha de ouro que atravessa a cabeça de Éris e vara a maçã sem tocar no peito de Saori. É o fim do reino da discórdia de Éris, que é enviada para o mundo dos mortos.

O Santuário vem abaixo. Seiya e Ikki conseguem fugir do soterramento. Saori e os outros morreram? Claro que não, Saori protegeu todos com sua Cosmo-Energia, até todos surgirem dos escombros: Saori, Shun, Shiryu e Hyoga carregando Eiri em seu colo. É hora de colher os louros da vitória, afinal os Santos Guerreiros de Atena livraram mais uma vez a Terra e toda a humanidade da sombra do mal que nos ameaçava.