Arquivo da categoria: Resumo da História

[CDZ] Resumo da História da Saga de Hades


  • Saga do Santuário

O Mestre Ancião, sentado nos Cinco Picos Antigos, pressente que o selo de Atena que prendia as almas dos espectros de Hades em uma torre há 240 anos, estava por perder seu efeito. Tão logo eles se libertassem, a Guerra Sagrada se reiniciaria – este é o motivo dos Cavaleiros de Ouro não poderem deixar as Doze Casas, pois o selo poderia quebrar-se a qualquer momento.

O Santuário é invadido pelos espectros. O antigo Mestre do Santuário morto por Saga, Shion, antigo Cavaleiro de Áries e mestre de Mu, aparece liderando os cinco Cavaleiros de Ouro mortos na batalha das doze casas que invadiram o Santuário para tomar a cabeça de Atena, uma vez que foram ressuscitados por Hades.

Enquanto os traidores tentam percorrer as doze casas, os verdadeiros espectros de Hades os seguem e aniquilam Aldebaran de Touro. Pouco antes, o Mestre Ancião chega ao Santuário e prepara-se para combater Shion, que, junto com ele, foi o único sobrevivente da última Guerra Sagrada contra Hades. Enquanto Shion, Saga, Camus e Shura lutam, os espectros continuam percorrendo as doze casas como sombras, até chegarem na casa de Leão e Virgem, sendo dizimados por Aioria e Shaka, ao passo que o Mestre Ancião – agora rejuvenescido na forma do jovem Douko de Libra – enfrenta Shion.

Os três traidores sobreviventes, Saga, Camus e Shura, enfrentam-se com Shaka sendo quase derrotados, mas terminam liquidando o cavaleiro de Virgem com a técnica proibida “Exclamação de Atena”. Aioria, Mu e Miro, os cavaleiros de ouro sobreviventes, preparam-se para liquidar Saga e os demais após a morte de Shaka, mas Atena pede para seus defensores levarem os moribundos cavaleiros renegados até seu templo.

Encontrando-se com Atena, Saga é surpreendido com o pedido da deusa: ela pede que Saga assassine-a com a mesma adaga com a qual Saga tentou matá-la ainda bebê. Saga, negando-se a cumprir este ato, faz com que Atena use a adaga dourada para perfurar, ela mesma, sua própria garganta. Todos os cavaleiros ficam atônitos com a morte da deusa.

Após a morte de Saori, os quatro cavaleiros de bronze (Seiya, Shun, Shiryu e Hyoga) reúnem-se no templo de Atena, lamentando não poderem ter salvo a deusa da sabedoria – Atena não desejava que eles sofressem mais, fazendo com que os cavaleiros de ouro tentassem expulsar Seiya e seus companheiros do Santuário.

Subitamente, Shion reaparece vivo. Furiosos, os santos cavaleiros de bronze atacam o antigo Mestre do Santuário por ter traído Atena. Shion se livra deles sem esforço, e conta que, na verdade, os cavaleiros de ouro que haviam morrido não traíram Atena. Saga, Camus, Shura, Afrodite, Máscara da Morte e Shion invadiram o Santuário com o intuito de alertar Atena sobre Hades. Mas como o Deus do submundo podia tirar suas vidas à qualquer momento se percebessem que eles eram traidores, eles precisaram se fazer de inimigos para que ninguém desconfiasse de suas verdadeiras intenções.

O antigo Mestre espirra o sangue de Atena, derramado em seu suicídio, na estátua da deusa (localizada ao final das Doze Casas, onde fica seu templo). A enorme estátua transforma-se em uma pequena estatueta dourada, e Shion conta que aquela é a armadura de Atena, a verdadeira razão da invasão promovida por ele ao Santuário. Sem a armadura de Atena, que precisa ser despertada com o próprio sangue de Saori, a deusa jamais poderia derrotar Hades, e apenas Shion sabia sobre esta armadura.

Hades concedeu apenas 12 horas de vida aos cavaleiros de ouro renegados. Shion, sentindo sua vida se esvair, confia aos cavaleiros de bronze a armadura de Atena. Antes disto, ele espirra o sangue de Atena nas armaduras de bronze, destruídas devido as batalhas com Poseidon. Eles são reconstruídas e reestilizadas ao mero toque do sangue divino, e, fortificados, os cavaleiros prometem a Shion ajudar Saori. Enquanto Seiya, Shiryu, Shun e Hyoga partem para o castelo de Hades na Alemanha, Shion torna-se pó, voltando ao mundo dos mortos.

No castelo de Hades na Alemanha, o espectro e um dos três Juízes do Submundo, Radamantis, derrota Aiolia, Milo e Mu, uma vez que aqueles que não são protegidos por Hades em seu território são reduzidos a um décimo de seu poder total, e joga-os no poço dos mortos. Parece ser o fim para os cavaleiros de ouro.

Enquanto isso, Pandora, irmã de Hades, pergunta aos agonizantes Saga, Camus e Shura onde está Atena. Saga responde que, uma vez que Atena se matou, dirigiu-se para o submundo. Percebendo que a intenção de Atena é confrontar Hades, Pandora ordena que todos os espectros reunidos no castelo voltem para o inferno.

Os cavaleiros de bronze chegam bem no momento em que os ex-cavaleiros de ouro tornam-se pó. Os demais espectros de Hades estão mergulhando no submundo por um portal no castelo de Hades. Seiya agarra-se a um deles pronto para ir confrontar Hades no mundo dos mortos junto com Atena. Shiryu e os outros tentam seguí-lo, mas Douko de Libra reaparece vivo e os adverte que, para um ser humano ir ao mundo dos mortos vivo, é preciso despertar o oitavo sentido, que está enterrado na alma do ser humano ainda mais além do que o sétimo. Confiantes de que Seiya desperteu o oitavo sentido na queda, os cavaleiros pulam para o coração do submundo enquanto o castelo desaba.

  • Saga do Inferno

Após a queda, Seiya e Shun acordam diante do portal do inferno. Os cavaleiros começam sua batalha contra Hades, e, ganhando a ajuda de Kanon, irmão de Saga (redimido e trajando a armadura de Gêmeos) e de Orfeu de Lira, um cavaleiro de prata que havia renegado Atena, Seiya e Shun eventualmente conseguem invadir o ponto central do inferno, o palácio “Giudecca”.

No palácio, estranhamente, Shun é dominado pelo espírito de Hades. A verdade vem à tona, e é descoberto que Shun foi escolhido para ser o corpo onde o Deus dos mortos reencarnaria. Após livrar-se de Seiya, jogando seu corpo em um lago congelado, Shun é confrontado por seu irmão, Ikki, que invade o inferno para auxiliar os cavaleiros.

Hades não abala-se com Fênix, e conta que enquanto os cavaleiros lutam, ele está usando seus poderes para alinhar os 9 planetas do sistema solar de forma que eles bloqueiem a luz do sol por toda a eternidade, mergulhando a humanidade no que Hades chama de Último Eclipse. Ikki descobre que a única maneira de deter Hades é destruindo o corpo de Shun. Fênix tenta destruí-lo, mas seus sentimentos pelo irmão o dominam, e ele acaba sendo derrotado. Pandora ordena que livrem-se do corpo de Ikki, ao passo que Shaka ressurge no submundo, tentando matar Hades. Atena impede o cavaleiro de ouro em sua investida, uma vez que somente o corpo de Shun seria ferido, e, no impasse que se segue, Hades tenta matar a deusa com um tridente. O sangue de Saori escorre pelo tridente, e ao tocar o corpo de Hades, traz o espírito de Shun de volta, expulsando a alma do Deus das trevas do corpo de Shun.

Impressionado, o espírito de Hades ataca Atena, que repele o ataque com o mesmo tridente que Hades usou contra ela. O cosmo de Atena desperta Seiya, Aioria, Mu e Miro, que chegam a Giudecca. Mais além da Giudecca há o “Muro das Lamentações”, onde apenas deuses podem passar. Percebendo que Hades e Atena seguiram pelo Muro, Seiya, Shun, Shaka, Miro, Aioria e Mu, ajudados por Douko, tentam romper a passagem, mas é inútil; é dito que apenas um raio de sol poderia destruir o Muro das Lamentações, e eles jamais chegam ao inferno. Nesse momento, as 12 armaduras de ouro reúnem-se na Giudecca, e os espíritos dos cavaleiros de ouro mortos reaparecem. Por ter dado a armadura de Gêmeos ao espírito de Saga, Kanon fica desprotegido durante seu combate, e suicida-se com o espectro Radamantis.

Dohko conta que unidos, os 12 cavaleiros de ouro poderiam destruir o Muro, recriando um raio de sol por suas constelações estarem no caminho eclíptico que acompanha o sol. Os Cavaleiros de Ouro concentram sua cosmo energia e atiram-na junto à Flecha da Justiça de Aioros contra o Muro das Lamentações. Uma imensa explosão ocorre, e o Muro das Lamentações é destruído. Porém, os espíritos dos cavaleiros de ouro desaparecem, restando apenas suas armaduras.

Seiya, Shiryu, Shun e Hyoga se reencontram no Muro destruído. Com lágrimas nos olhos, eles prosseguem a um portal de uma dimensão que os levará até os Campos Elíseos, onde Atena e Hades se dirigiram após seu breve combate. Como as armaduras tinham o sangue de uma deusa, os cavaleiros conseguiram passar pela dimensão na qual apenas deuses podem trafegar. Com exceção de Ikki – que não teve sua armadura revitalizada pelo sangue de Atena – que, salvo por Pandora que se apaixonou pelo Fênix, ganha dela um amuleto protegido por Hades. Ele o permitiria cruzar esta dimensão.

  • Saga dos Elíseos

Chegando nos Campos Elíseos, Seiya se confronta com os mais poderosos guerreiros de Hades: Tanathos e Hypnos, respectivamente, os deuses da morte e do sono. Sabendo que Saori foi presa em um vaso que está lhe sugando o sangue lentamente, Seiya tenta deixar os oponentes de lado, mas é engajado por Tanathos em uma batalha mortal. Mesmo com a ajuda providencial dos outros cavaleiros de bronze e das armaduras de ouro, enviadas por Poseidon (que não desejava que Hades dominasse a Terra), foi impossível deter Tanathos.

Durante o combate, Seika, a irmã desaparecida de Seiya, é encontrada por Marin na Terra. Disposto a fazer Seiya sofrer, Tanathos mostra a Seiya sua irmã na Terra, e decide matar a irmã do Pégaso mesmo estando nos Campos Elíseos. Junto com o amor por sua irmã e encorajado por Atena e seus amigos, Seiya ergue-se para enfrentar Tanathos novamente, e queimando seu cosmo ao extremo junto ao sangue de Atena, faz com que a armadura de bronze de Pégaso ressuscite em uma armadura totalmente dourada, a Armadura Divina.

De posse de sua Armadura Divina, Seiya finalmente derruba Tanathos. O Pégaso se dirige ao Templo de Hades onde Atena está presa, ao passo que Shun e os outros enfrentam Hypnos. Ikki decide ir auxiliar Seiya, e quando Hypnos tenta detê-lo, Shun se ergue e também desperta sua Armadura Divina.

Chegando ao templo de Hades, Seiya tenta quebrar o vaso que está sugando o sangue de Saori, mas seus golpes voltam-se contra ele. A situação torna-se ainda mais desesperadora com a chegada do espírito do próprio Hades ao local, que começa a golpear o Pégaso. Ikki chega ao templo de Hades, e, mesmo sem armadura, ataca o espírito do deus dos mortos. Ikki rapidamente percebe que é inútil atacar Hades, e acidentalmente toca o sangue de Atena ao ser arremessado pelo deus do submundo no vaso de Atena. Como seu cosmo estava elevado, o Fênix desperta sua Armadura Divina unindo a capacidade de regeneração de sua armadura com o sangue de Atena.

Na luta com Hypnos, Shun é derrubado pelo ataque da divindade, o qual colocaria o cavaleiro de Andrômeda numa hibernação eterna. Shiryu e Hyoga rapidamente despertam suas Armaduras Divinas, e, tendo visto o golpe de Hypnos quando este foi utilizado em Shun, derrotam o mestre do sono unindo o Pó de Diamante e o Cólera do Dragão.

Ikki e Seiya, após uma outra tentativa frustrada de destruir o jarro de Atena, percebem que há um mausoléu no templo de Hades. O Cavaleiro de Fênix recorda-se de que o corpo de Hades esteve nos Campos Elíseos desde eras mitológicas, pois o deus do submundo desejava utilizá-lo somente quando tomasse posse da Terra. Dispostos a impedir a ressureição de Hades, os dois cavaleiros invadem o mausoléu e preparam-se para destruir o corpo do deus das trevas, mas era tarde demais. Notando a intenção do Pégaso e do Fênix, Hades rapidamente tomou seu corpo de volta, e pôs-se a golpear os defensores de Atena impiedosamente com sua poderosa espada.

Quando Seiya e Ikki corriam grave perigo, Shun, Hyoga e Shiryu chegam para ajudá-los. Os cavaleiros de bronze unem suas forças e conseguem ferir Hades, mas o deus, enfurecido, repele a todos eles com sua poderosa energia. Enfraquecidos, os cavaleiros de bronze estavam prestes a encontrar a morte quando esferas de energia os revestem, freando o ataque de Hades. Hades percebe que isso não poderia ser feito por seres humanos, e percebe que isso é obra de Atena. O vaso sanguinário que estava praticamente vermelho com o sangue de Saori começa a perder sua cor, significando que Saori recuperou todo o seu sangue. Sem perder tempo, Hades tenta cortar o vaso ao meio, mas Seiya atira a armadura de Atena à Saori, que entrando em contato com a deusa, desperta. Uma grande luz ilumina o local e na sequência Atena aparece trajando sua Armadura Divina.

Hades enfurece-se de vez, e lança seu ataque contra Atena. Os deuses põem, além de seus corpos, suas ideologias em combate, com Hades afirmando que a humanidade pecadora precisa ser purificada antes que se rebele contra todos os deuses. A luta permanece equilibrada até que Hades, exaltado pelas palavras de Atena, consegue golpear a deusa certeiramente, deixando-a desprotegida.

A tragédia não é consumada porque o Pégaso Seiya, diante do perigo de sua deusa protetora, rompe sua esfera de energia, e joga-se entre o ataque de Hades e Atena disparando seus meteoros. Hades é arremessado longe, surpreso em ser tão ferido por um simples humano. Os cavaleiros de bronze animam-se com o contra-ataque de Seiya, mas só então percebem que o coração do cavaleiro foi atravessado pela espada de Hades. Suplicando a Seiya que ele não morra, Atena e os demais Cavaleiros sentem a cosmo-energia de Seiya desaparecer por completo. Seiya está morto.

Hades ironiza o sacrifício do Pégaso, e prepara-se para atacar Atena mais uma vez. Porém, desta vez, todos os outros quatro cavaleiros de bronze rompem suas esferas protetoras. Hades é surpreendido, e diz estar sendo esmagado pelo cosmo liberado de seus oponentes. Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki enviam suas energias para o báculo da justiça de Atena, que o atira contra o deus do submundo. O cetro atravessa o peito de Hades, que é finalmente derrotado.

O deus dos mortos, ainda incrédulo de sua morte, avisa Atena e seus cavaleiros que o mundo dos mortos desaparecia juntamente com ele, matando Atena e os cavaleiros também. Hades termina seu epitáfio afirmando que o amor que Atena defende é apenas uma ilusão na qual poucas pessoas acreditam, e o mundo dos mortos começa a ruir.

Os cavaleiros reúnem-se ao redor de Saori, que segura Seiya em seus braços. Atena diz que está na hora de seus defensores irem para “um mundo de luz”. Na Terra, o Sol reaparece, e o Último Eclipse é freado. Os demais cavaleiros de bronze, Shina e Seika aguardam o retorno de Seiya e seus companheiros. Marin diz que tem certeza de que Seiya voltará para este mundo inundado pela luz, e, com o rosto dos cavaleiros de bronze contentes em ter cumprido a sua missão estampado no sol, encerra-se a terceira saga de Saint Seiya no mangá: a Saga de Hades.