Arquivos do Blog

[Lost Canvas] História Solo de Dégel de Aquário


Yuzuriha de Grow | Albafica de Peixes | Kardia de Escorpião | Dégel de Aquário

  • CAPÍTULO 1|19  – “O MAGO DO GELO!”

No início da história somos apresentados a uma jovem serva do castelo Vouivre, no século XVIII, a pequena garota chamada Fluorite. Ela serve de forma desajeitada os convidados de uma festa de máscaras e entre os convidados está um homem jovem e muito interessante que, com seu ar altivo, fascinava a todos que o viam. Ele estava acompanhado da bela Senhorita Serafina, a filha do senhor das terras do Graad Azul, porém ao se distrair, Fluorite comete um erro fatal e derrama a bandeja de bebidas em um aristocrata chamado Jet. Ele decide puni-la pisando em seu braço e o forçando contra os cacos vidro, contudo o jovem altivo intervém com um poder que paralisa o aristocrata, mas, ao ver que todos perceberam seu ato de magia, ele diz que tolo Jet apenas havia caído de bêbado. Após isso, o jovem herói se apresenta a pequena garota que salvou: ele é Dégel, vindo da Grécia (ocultando seu verdadeiro título de Cavaleiro de Ouro de Aquário), e com isso ele pergunta sobre a senhora daquele castelo. Quando a decepcionada Fluorite começa a descrever sua senhora, eis que adentra no salão, já cantando, a senhora daqueles domínios: Garnet, que ao vislumbrar todos os seus convidados boquiabertos com seu talento estranha que somente o jovem Dégel não esta totalmente encantado por sua voz.

  • CAPÍTULO  2|20 – “A CAIXA DE JÓIAS!”

A senhora Garnet se aproxima dos convidados pedindo para que se levantem e desfrutem de sua festa de aniversário. Enquanto isso, todos os homens tentam convidá-la para dançar, mas a todos ela nega, porém a bela mulher se dirige ate Dégel e o convida para dançar. No templo de Escorpião, Sasha está com Kardia. O Cavaleiro de Ouro está sofrendo com o calor em seu coração, porém surge o Grande Mestre Sage. A deusa então indaga onde Dégel esta, afinal só ele pode ajudar Kardia a controlar a temperatura de seu coração, mas Sage diz que ele está na França, atrás de um homem importante que sumiu: ele é o seu Mestre Crest, sobrevivente da penúltima Guerra Santa. De volta à festa, Garnet começa a seduzir Dégel com sua voz e lhe releva que sabe que está diante do Cavaleiro de Ouro de Aquário e quem contou isso a ela foi alguém que ele conhece. Isso faz Dégel se assustar e cair mais no poder hipnótico de Garnet, mas quando o Cavaleiro de Ouro está prestes a sucumbir, um tiro é ouvido: é uma senhora que teve seu marido encantado e que posteriormente se suicidou por causa de Garnet. Ela agora quer vingança e para isso ela dispõe de um pequeno exército, mas, quando o ataque a Garnet era iminente, a bela anfitriã convoca jovens garotos para protegê-la: eles são Carnelian, que domina o sangue da carne cortada, Chalcedony, que domina as ilusões, Tourmaline, que usa como quer a eletricidade, Flint controla de fogo e o líder Koh-i-Nur, que domina os reflexos irregulares de luz. Eles não tem dificuldades para vencer a ameaça, Após isso Garnet intima Dégel a passar a noite no seu castelo.

  • CAPÍTULO 3|21 – “SÍLEX!”

Dégel se despede de Seraphina e agradece sua ajuda para fazê-lo se infiltrar na casa de Garnet. Ela acha imprudente Dégel permanecer naquela mansão sozinho para procurar seu mestre Krest, porém ela aceita e vai embora na companhia da senhora Flaille, que há pouco tentara acabar com Garnet sem sucesso. Antes de ir, a mulher pede para que Dégel descubra o que Garnet esconde que fascina a todos. Após isso, as duas vão embora definitivamente deixando Dégel lembrando de seu mestre, seus pensamentos e ensinamentos sobre o papel dos Cavaleiros de Atena. Já em seu quarto, Dégel é surpreendido por Flint que lhe ataca após poucas palavras, mas o Cavaleiro de Aquário revela sua armadura deixando Flint sem ação porém o jovem guerreiro de Garnet, ao destruir uma parede, revela a presença de Fluorite que é tomada como refém. Mesmo assim Dégel controla a situação com seu Grande Circulo de Gelo (Kalitso) que acaba libertando Fluorite de Flint e também destruindo o jovem que se transforma em uma pedra preciosa.

  •  CAPÍTULO 4|22 – “UM PAI E UM MESTRE DESAPARECIDOS”

Dégel tenta entender tudo que o está ocorrendo já que após derrotar uma das joias de Garnet este virou apenas uma pedra preciosa, mas ele prefere sair dali. Antes, entretanto, ele pede para que Fluorite se esconda em algum lugar, mas a menina diz que quer acompanhá-lo por que ela também teve uma pessoa querida desaparecida ligada aquele lugar, assim como vários outros habitantes dos arredores. Quem a menina perdeu, na verdade, foi seu pai, um escritor que antes de sumir deixou mensagens incompreensíveis, porém, no dia do seu desaparecimento, ela ouviu a bela canção de Garnet vindo da mansão e com isso ela se empregou lá para investigar melhor. Dégel entende que é melhor levá-la para que ela não o siga e lhe cause problemas, com isso os dois partem de lá. Em outra parte da mansão, Garnet se banha e é rodeada por suas joias que lhe dão frutas. Então surge o líder das joias de Garnet: Koh-I-Nur. Ele avisa que Flint caiu diante de Dégel. Ela se surpreende bem pouco e fica consternada quando as outras joias desdenham de Flint, porém, logo após, ela manda Koh-i-Nur iniciar o ato principal. De volta a Dégel e Fluorite, a menina leva o cavaleiro até uma imensa porta no subsolo que está trancada há muito tempo por ordens de Garnet, mas Dégel abre-a com extrema facilidade e lá ele encontra uma biblioteca que o faz lembrar de seu mestre. Alguém está lá e lhe transmite o ar frio de seu mestre, porém, antes de entender o que é tudo isso, ele encontra a senhora Flaille presa em uma espécie de masmorra. Diante dele surge Koh-i-Nur que lamenta que Dégel não desenvolveu nada de seu poder desde a última vez que eles se viram, então ele se apresenta como servo fiel de Garnet: Krest de Koh-i-Nur, o antigo mestre de Dégel e quem ele estava procurando. Entretanto, ele está jovem.

  • CAPÍTULO 5|23 – “O OLHAR DE KOH-I-NUR!”

Dégel ainda está se recompondo do impacto da revelação de que seu mestre está novamente jovem diante dele e já é novamente surpreendido com um ataque, o Pó de Diamante, que o atinge frontalmente. Ao ver seu discípulo no chão, Krest conta que durante seus quinhentos anos de idade e após passar por muitas batalhas, contra inimigos como Hades, Poseidon e Ares, ele chegou a uma conclusão: a única forma de se livrar desse ciclo de ódio e dor era se tornando imortal e acabando com esse sonho efêmero que é a mortalidade humana. Há cinquenta anos ele encontrou alguém com poder para lhe conceder essa imortalidade, essa pessoa era Garnet que consegue tudo com seu poder sem ter que usar a violência. Após esses cinquenta anos ele decidiu se juntar a Garnet e realizar sua ambição. Degél não entende e desafia Krest que diz que o Cavaleiro de Aquário não luta com todo seu poder quando conhece seu adversário, mas quando o combate é inevitável surge Chalcedony que é acompanhado por Tourmaline que diz que eles que irão lutar contra Dégel por ordens de Garnet, porém, antes de ir, Krest coloca mais um problema para Dégel lidar ao mostrar a mecha de cabelos prateados para o dourado demonstrando que eles estão com Seraphina. Após isso, Krest se retira e começa o embate de Dégel contra Tourmaline e Chalcedony, porém agora o cavaleiro não pode mais perder tempo.

  •  CAPÍTULO 6|24 – “A TURMALINA E A CALCEDÔNIA!”

Dégel termina seu ataque, mas Tourmaline e Chalcedony desaparecem como mágica, porém, de repente, ambos aparecem atrás dele. Porém não só os dois surgem, mas sim cópias dos seus adversários que emanam força de batalha. Nesse momento Chalcedony chega até e se desculpa pelo método que utiliza, dizendo que irá “trapacear” com suas ilusões, mas Tourmaline não quer muita conversa e ataca Dégel com o seu Dazzling Voltage (algo como Voltagem Ofuscante) atingindo o Cavaleiro de Ouro em cheio. Quando os servos de Garnet já cantavam vitória, Dégel se ergue em meio a um ar frio e explica que congelou o lugar todo criando espelhos de gelo devido a grande humidade do local e o que eles atacaram não passava de seu reflexo do gelo. Com isso Dégel dispara uma variação de seu golpe, o Diamond Dust Ray (algo como Raio do Pó de Diamante) que acaba com Tourmaline e Chalcedony de uma só vez. Em outro local, Seraphina desperta e pensa em fugir, mas se vê presa e vislumbra Garnet absorvendo a energia de Carnelian, então ela revela que sugando a energia trazida por suas joias dos desaparecidos, ela mantem sua juventude e força, e não há nada melhor que uma jovem donzela como sacrifício para suas ambições. Isso faz Seraphina clamar por Dégel.

[Lost Canvas] História Solo de Yuzuriha de Grow


Yuzuriha de Grow | Albafica de Peixes | Kardia de Escorpião | Dégel de Aquário

  • CAPÍTULO 1 – “O BRASÃO TATUADO EM SANGUE!”

Em Jamiel, Yuzuriha cumprimenta Shion de Áries. Ela conversa com o Cavaleiro de Ouro sobre sua decisão de casar-se, para que seu sangue não se perca com o seu fim, já que sua família morreu e o funeral está acontecendo neste momento nas alturas. Apenas o corpo do seu irmão Tokusa não foi encontrado, portanto ele não está sendo velado. Shion pergunta se ela desistirá de seu sonho, mas ela diz que fará o necessário. A guerreira vai até um ponto mais alto, com a ajuda de seu cachecol. Shion se encontra com Hakurei, que recebe rudemente seu discípulo, que explica que está lá devido ao Grande Mestre Sage ter previsto a aparição de um grande mal em Jamiel. Hakurei diz que esse mal já chegou lá, com a ida de Shion, embora a desistência de Yuzuriha e a morte do irmão dela, fez com que ele perdesse todos os seus discípulos. No passado, vemos Yuzuriha se livrando do cachecol de sua família, já que ele não ajudaria sua meta de ser uma amazona de Atena. Ela entrega o cachecol para Tokusa, que estranha o fato. No tempo atual, Yuzuriha chora ao lembrar-se de seu irmão, mas eis que surge o próprio na porta. Ela, feliz e assustada, o abraça. Ele se desculpa e a ataca. Isso chama a atenção de Shion. Ao longe, o Cavaleiro do Ouro chega ao local e vê Yuzuriha ferida. Diante dele está Tokusa com uma Surplice. Então o ex-companheiro de Shion se revela como Tokusa de Hanuman, da Estrela Celeste da Habilidade, que ganhou a vida eterna em troca daqueles que ele ama e, por fim, ele veio atrás de sua querida irmã. Shion se enfurece e quase é atingido pelo golpe de Tokusa, o Sekishiki Nyoi Ri Ren (algo como o Encontro dos Espíritos), porém Shion se defende. Yuzuriha tenta assumir a luta usando seu cachecol, para segurar seu irmão, mas Shion não permite. Nisso Tokusa diz que por admirar tanto Shion Yuzuriha quis ser uma guerreira, assim se ferindo e deixando sua feminilidade, por isso ele irá acabar com os dois. Shion se enfurece e ataca com a Revolução Estelar, que derrota Tokusa. Yuzuriha se aproxima de seu irmão, que parece se arrepender e fica com medo de sujar a pele de sua irmã, porém ele morre em seguida. Então ela usa o sangue de seu irmão para tatuar o brasão da família em seu corpo e se tornar uma guerreira.

[CDZ] Resumo da História da Saga de Hades


  • Saga do Santuário

O Mestre Ancião, sentado nos Cinco Picos Antigos, pressente que o selo de Atena que prendia as almas dos espectros de Hades em uma torre há 240 anos, estava por perder seu efeito. Tão logo eles se libertassem, a Guerra Sagrada se reiniciaria – este é o motivo dos Cavaleiros de Ouro não poderem deixar as Doze Casas, pois o selo poderia quebrar-se a qualquer momento.

O Santuário é invadido pelos espectros. O antigo Mestre do Santuário morto por Saga, Shion, antigo Cavaleiro de Áries e mestre de Mu, aparece liderando os cinco Cavaleiros de Ouro mortos na batalha das doze casas que invadiram o Santuário para tomar a cabeça de Atena, uma vez que foram ressuscitados por Hades.

Enquanto os traidores tentam percorrer as doze casas, os verdadeiros espectros de Hades os seguem e aniquilam Aldebaran de Touro. Pouco antes, o Mestre Ancião chega ao Santuário e prepara-se para combater Shion, que, junto com ele, foi o único sobrevivente da última Guerra Sagrada contra Hades. Enquanto Shion, Saga, Camus e Shura lutam, os espectros continuam percorrendo as doze casas como sombras, até chegarem na casa de Leão e Virgem, sendo dizimados por Aioria e Shaka, ao passo que o Mestre Ancião – agora rejuvenescido na forma do jovem Douko de Libra – enfrenta Shion.

Os três traidores sobreviventes, Saga, Camus e Shura, enfrentam-se com Shaka sendo quase derrotados, mas terminam liquidando o cavaleiro de Virgem com a técnica proibida “Exclamação de Atena”. Aioria, Mu e Miro, os cavaleiros de ouro sobreviventes, preparam-se para liquidar Saga e os demais após a morte de Shaka, mas Atena pede para seus defensores levarem os moribundos cavaleiros renegados até seu templo.

Encontrando-se com Atena, Saga é surpreendido com o pedido da deusa: ela pede que Saga assassine-a com a mesma adaga com a qual Saga tentou matá-la ainda bebê. Saga, negando-se a cumprir este ato, faz com que Atena use a adaga dourada para perfurar, ela mesma, sua própria garganta. Todos os cavaleiros ficam atônitos com a morte da deusa.

Após a morte de Saori, os quatro cavaleiros de bronze (Seiya, Shun, Shiryu e Hyoga) reúnem-se no templo de Atena, lamentando não poderem ter salvo a deusa da sabedoria – Atena não desejava que eles sofressem mais, fazendo com que os cavaleiros de ouro tentassem expulsar Seiya e seus companheiros do Santuário.

Subitamente, Shion reaparece vivo. Furiosos, os santos cavaleiros de bronze atacam o antigo Mestre do Santuário por ter traído Atena. Shion se livra deles sem esforço, e conta que, na verdade, os cavaleiros de ouro que haviam morrido não traíram Atena. Saga, Camus, Shura, Afrodite, Máscara da Morte e Shion invadiram o Santuário com o intuito de alertar Atena sobre Hades. Mas como o Deus do submundo podia tirar suas vidas à qualquer momento se percebessem que eles eram traidores, eles precisaram se fazer de inimigos para que ninguém desconfiasse de suas verdadeiras intenções.

O antigo Mestre espirra o sangue de Atena, derramado em seu suicídio, na estátua da deusa (localizada ao final das Doze Casas, onde fica seu templo). A enorme estátua transforma-se em uma pequena estatueta dourada, e Shion conta que aquela é a armadura de Atena, a verdadeira razão da invasão promovida por ele ao Santuário. Sem a armadura de Atena, que precisa ser despertada com o próprio sangue de Saori, a deusa jamais poderia derrotar Hades, e apenas Shion sabia sobre esta armadura.

Hades concedeu apenas 12 horas de vida aos cavaleiros de ouro renegados. Shion, sentindo sua vida se esvair, confia aos cavaleiros de bronze a armadura de Atena. Antes disto, ele espirra o sangue de Atena nas armaduras de bronze, destruídas devido as batalhas com Poseidon. Eles são reconstruídas e reestilizadas ao mero toque do sangue divino, e, fortificados, os cavaleiros prometem a Shion ajudar Saori. Enquanto Seiya, Shiryu, Shun e Hyoga partem para o castelo de Hades na Alemanha, Shion torna-se pó, voltando ao mundo dos mortos.

No castelo de Hades na Alemanha, o espectro e um dos três Juízes do Submundo, Radamantis, derrota Aiolia, Milo e Mu, uma vez que aqueles que não são protegidos por Hades em seu território são reduzidos a um décimo de seu poder total, e joga-os no poço dos mortos. Parece ser o fim para os cavaleiros de ouro.

Enquanto isso, Pandora, irmã de Hades, pergunta aos agonizantes Saga, Camus e Shura onde está Atena. Saga responde que, uma vez que Atena se matou, dirigiu-se para o submundo. Percebendo que a intenção de Atena é confrontar Hades, Pandora ordena que todos os espectros reunidos no castelo voltem para o inferno.

Os cavaleiros de bronze chegam bem no momento em que os ex-cavaleiros de ouro tornam-se pó. Os demais espectros de Hades estão mergulhando no submundo por um portal no castelo de Hades. Seiya agarra-se a um deles pronto para ir confrontar Hades no mundo dos mortos junto com Atena. Shiryu e os outros tentam seguí-lo, mas Douko de Libra reaparece vivo e os adverte que, para um ser humano ir ao mundo dos mortos vivo, é preciso despertar o oitavo sentido, que está enterrado na alma do ser humano ainda mais além do que o sétimo. Confiantes de que Seiya desperteu o oitavo sentido na queda, os cavaleiros pulam para o coração do submundo enquanto o castelo desaba.

  • Saga do Inferno

Após a queda, Seiya e Shun acordam diante do portal do inferno. Os cavaleiros começam sua batalha contra Hades, e, ganhando a ajuda de Kanon, irmão de Saga (redimido e trajando a armadura de Gêmeos) e de Orfeu de Lira, um cavaleiro de prata que havia renegado Atena, Seiya e Shun eventualmente conseguem invadir o ponto central do inferno, o palácio “Giudecca”.

No palácio, estranhamente, Shun é dominado pelo espírito de Hades. A verdade vem à tona, e é descoberto que Shun foi escolhido para ser o corpo onde o Deus dos mortos reencarnaria. Após livrar-se de Seiya, jogando seu corpo em um lago congelado, Shun é confrontado por seu irmão, Ikki, que invade o inferno para auxiliar os cavaleiros.

Hades não abala-se com Fênix, e conta que enquanto os cavaleiros lutam, ele está usando seus poderes para alinhar os 9 planetas do sistema solar de forma que eles bloqueiem a luz do sol por toda a eternidade, mergulhando a humanidade no que Hades chama de Último Eclipse. Ikki descobre que a única maneira de deter Hades é destruindo o corpo de Shun. Fênix tenta destruí-lo, mas seus sentimentos pelo irmão o dominam, e ele acaba sendo derrotado. Pandora ordena que livrem-se do corpo de Ikki, ao passo que Shaka ressurge no submundo, tentando matar Hades. Atena impede o cavaleiro de ouro em sua investida, uma vez que somente o corpo de Shun seria ferido, e, no impasse que se segue, Hades tenta matar a deusa com um tridente. O sangue de Saori escorre pelo tridente, e ao tocar o corpo de Hades, traz o espírito de Shun de volta, expulsando a alma do Deus das trevas do corpo de Shun.

Impressionado, o espírito de Hades ataca Atena, que repele o ataque com o mesmo tridente que Hades usou contra ela. O cosmo de Atena desperta Seiya, Aioria, Mu e Miro, que chegam a Giudecca. Mais além da Giudecca há o “Muro das Lamentações”, onde apenas deuses podem passar. Percebendo que Hades e Atena seguiram pelo Muro, Seiya, Shun, Shaka, Miro, Aioria e Mu, ajudados por Douko, tentam romper a passagem, mas é inútil; é dito que apenas um raio de sol poderia destruir o Muro das Lamentações, e eles jamais chegam ao inferno. Nesse momento, as 12 armaduras de ouro reúnem-se na Giudecca, e os espíritos dos cavaleiros de ouro mortos reaparecem. Por ter dado a armadura de Gêmeos ao espírito de Saga, Kanon fica desprotegido durante seu combate, e suicida-se com o espectro Radamantis.

Dohko conta que unidos, os 12 cavaleiros de ouro poderiam destruir o Muro, recriando um raio de sol por suas constelações estarem no caminho eclíptico que acompanha o sol. Os Cavaleiros de Ouro concentram sua cosmo energia e atiram-na junto à Flecha da Justiça de Aioros contra o Muro das Lamentações. Uma imensa explosão ocorre, e o Muro das Lamentações é destruído. Porém, os espíritos dos cavaleiros de ouro desaparecem, restando apenas suas armaduras.

Seiya, Shiryu, Shun e Hyoga se reencontram no Muro destruído. Com lágrimas nos olhos, eles prosseguem a um portal de uma dimensão que os levará até os Campos Elíseos, onde Atena e Hades se dirigiram após seu breve combate. Como as armaduras tinham o sangue de uma deusa, os cavaleiros conseguiram passar pela dimensão na qual apenas deuses podem trafegar. Com exceção de Ikki – que não teve sua armadura revitalizada pelo sangue de Atena – que, salvo por Pandora que se apaixonou pelo Fênix, ganha dela um amuleto protegido por Hades. Ele o permitiria cruzar esta dimensão.

  • Saga dos Elíseos

Chegando nos Campos Elíseos, Seiya se confronta com os mais poderosos guerreiros de Hades: Tanathos e Hypnos, respectivamente, os deuses da morte e do sono. Sabendo que Saori foi presa em um vaso que está lhe sugando o sangue lentamente, Seiya tenta deixar os oponentes de lado, mas é engajado por Tanathos em uma batalha mortal. Mesmo com a ajuda providencial dos outros cavaleiros de bronze e das armaduras de ouro, enviadas por Poseidon (que não desejava que Hades dominasse a Terra), foi impossível deter Tanathos.

Durante o combate, Seika, a irmã desaparecida de Seiya, é encontrada por Marin na Terra. Disposto a fazer Seiya sofrer, Tanathos mostra a Seiya sua irmã na Terra, e decide matar a irmã do Pégaso mesmo estando nos Campos Elíseos. Junto com o amor por sua irmã e encorajado por Atena e seus amigos, Seiya ergue-se para enfrentar Tanathos novamente, e queimando seu cosmo ao extremo junto ao sangue de Atena, faz com que a armadura de bronze de Pégaso ressuscite em uma armadura totalmente dourada, a Armadura Divina.

De posse de sua Armadura Divina, Seiya finalmente derruba Tanathos. O Pégaso se dirige ao Templo de Hades onde Atena está presa, ao passo que Shun e os outros enfrentam Hypnos. Ikki decide ir auxiliar Seiya, e quando Hypnos tenta detê-lo, Shun se ergue e também desperta sua Armadura Divina.

Chegando ao templo de Hades, Seiya tenta quebrar o vaso que está sugando o sangue de Saori, mas seus golpes voltam-se contra ele. A situação torna-se ainda mais desesperadora com a chegada do espírito do próprio Hades ao local, que começa a golpear o Pégaso. Ikki chega ao templo de Hades, e, mesmo sem armadura, ataca o espírito do deus dos mortos. Ikki rapidamente percebe que é inútil atacar Hades, e acidentalmente toca o sangue de Atena ao ser arremessado pelo deus do submundo no vaso de Atena. Como seu cosmo estava elevado, o Fênix desperta sua Armadura Divina unindo a capacidade de regeneração de sua armadura com o sangue de Atena.

Na luta com Hypnos, Shun é derrubado pelo ataque da divindade, o qual colocaria o cavaleiro de Andrômeda numa hibernação eterna. Shiryu e Hyoga rapidamente despertam suas Armaduras Divinas, e, tendo visto o golpe de Hypnos quando este foi utilizado em Shun, derrotam o mestre do sono unindo o Pó de Diamante e o Cólera do Dragão.

Ikki e Seiya, após uma outra tentativa frustrada de destruir o jarro de Atena, percebem que há um mausoléu no templo de Hades. O Cavaleiro de Fênix recorda-se de que o corpo de Hades esteve nos Campos Elíseos desde eras mitológicas, pois o deus do submundo desejava utilizá-lo somente quando tomasse posse da Terra. Dispostos a impedir a ressureição de Hades, os dois cavaleiros invadem o mausoléu e preparam-se para destruir o corpo do deus das trevas, mas era tarde demais. Notando a intenção do Pégaso e do Fênix, Hades rapidamente tomou seu corpo de volta, e pôs-se a golpear os defensores de Atena impiedosamente com sua poderosa espada.

Quando Seiya e Ikki corriam grave perigo, Shun, Hyoga e Shiryu chegam para ajudá-los. Os cavaleiros de bronze unem suas forças e conseguem ferir Hades, mas o deus, enfurecido, repele a todos eles com sua poderosa energia. Enfraquecidos, os cavaleiros de bronze estavam prestes a encontrar a morte quando esferas de energia os revestem, freando o ataque de Hades. Hades percebe que isso não poderia ser feito por seres humanos, e percebe que isso é obra de Atena. O vaso sanguinário que estava praticamente vermelho com o sangue de Saori começa a perder sua cor, significando que Saori recuperou todo o seu sangue. Sem perder tempo, Hades tenta cortar o vaso ao meio, mas Seiya atira a armadura de Atena à Saori, que entrando em contato com a deusa, desperta. Uma grande luz ilumina o local e na sequência Atena aparece trajando sua Armadura Divina.

Hades enfurece-se de vez, e lança seu ataque contra Atena. Os deuses põem, além de seus corpos, suas ideologias em combate, com Hades afirmando que a humanidade pecadora precisa ser purificada antes que se rebele contra todos os deuses. A luta permanece equilibrada até que Hades, exaltado pelas palavras de Atena, consegue golpear a deusa certeiramente, deixando-a desprotegida.

A tragédia não é consumada porque o Pégaso Seiya, diante do perigo de sua deusa protetora, rompe sua esfera de energia, e joga-se entre o ataque de Hades e Atena disparando seus meteoros. Hades é arremessado longe, surpreso em ser tão ferido por um simples humano. Os cavaleiros de bronze animam-se com o contra-ataque de Seiya, mas só então percebem que o coração do cavaleiro foi atravessado pela espada de Hades. Suplicando a Seiya que ele não morra, Atena e os demais Cavaleiros sentem a cosmo-energia de Seiya desaparecer por completo. Seiya está morto.

Hades ironiza o sacrifício do Pégaso, e prepara-se para atacar Atena mais uma vez. Porém, desta vez, todos os outros quatro cavaleiros de bronze rompem suas esferas protetoras. Hades é surpreendido, e diz estar sendo esmagado pelo cosmo liberado de seus oponentes. Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki enviam suas energias para o báculo da justiça de Atena, que o atira contra o deus do submundo. O cetro atravessa o peito de Hades, que é finalmente derrotado.

O deus dos mortos, ainda incrédulo de sua morte, avisa Atena e seus cavaleiros que o mundo dos mortos desaparecia juntamente com ele, matando Atena e os cavaleiros também. Hades termina seu epitáfio afirmando que o amor que Atena defende é apenas uma ilusão na qual poucas pessoas acreditam, e o mundo dos mortos começa a ruir.

Os cavaleiros reúnem-se ao redor de Saori, que segura Seiya em seus braços. Atena diz que está na hora de seus defensores irem para “um mundo de luz”. Na Terra, o Sol reaparece, e o Último Eclipse é freado. Os demais cavaleiros de bronze, Shina e Seika aguardam o retorno de Seiya e seus companheiros. Marin diz que tem certeza de que Seiya voltará para este mundo inundado pela luz, e, com o rosto dos cavaleiros de bronze contentes em ter cumprido a sua missão estampado no sol, encerra-se a terceira saga de Saint Seiya no mangá: a Saga de Hades.

 

[CDZ] Resumo da História da Saga de Poseidon


  • Saori Kido e Julian Solo

Grécia, mansão da família Solo. Julian Solo completa seus 16 anos e organizou uma festa na propriedade de sua família. Dentre os convidados encontra-se Saori Kido, a reencarnação de Atena, acompanhada do mordomo Tatsumi. Após se conhecerem durante a festa, Julian propõe à Saori se casarem, contudo esta descarta a idéia. Nesse momento, Julian observa um foco de luz surgindo na ponta do Cabo Sounion, local das ruínas do Templo de Poseidon. Durante a madrugada, enquanto Saori dormia, é seqüestrada, mas ainda na praia o seqüestrador é abordado por Aiolia, Cavaleiro de Ouro de Leão, que o derrota. No Cabo Sounion, Julian encontra um tridente e Thetis, a sereia. Esta lhe revela que ele é a reencarnação de Poseidon e salta com ele em direção ao mar.

Tóquio, mansão da família Kido. Uma semana após, as chuvas destruíram cidades e mataram milhares de pessoas. Saori recebe Thetis que, junto a soldados, tenta levar Atena para o templo submarino. Seiya surge e repele a investida dos soldados com seus golpes. A marina foge e Seiya desmaia.

Tóquio, centro de repouso da Fundação Graad. Os quatro cavaleiros de bronze encontram-se em coma desde o final da batalha no Santuário. Saori decide permanecer ao lado de seus defensores. Aldebaran, cavaleiro de ouro de Touro, é designado a ficar junto a Atena. Durante a noite, surge o general Sorento, de Bruxa do Mar, com o objetivo de eliminar os cavaleiros de bronze. Aldebaran, debilitado pela música de Sorento, enfrenta-o, sendo inicialmente derrotado, mas se mantém no caminho do general.

Templo Submarino. Sorento leva Atena à presença de Poseidon. Ambos descobrem suas identidades humanas e, diante de nova negativa de Saori em se casarem, Poseidon tranca Atena no Pilar Principal. Neste, Atena receberá toda a água que seria jogada no planeta, retardando um novo Grande Dilúvio.

China, Cinco Picos de Rozan. Thetis encontra o velho mestre e declara a guerra entre os cavaleiros de ouro e os generais marinas. Os quatro cavaleiros de bronze surgem e decidem lutar nessa batalha. Kiki traz as novas armaduras deles, renascidas com o sangue dos cavaleiros de ouro, e os guia até o templo submarino.

  • Templo Submarino

Templo Submarino. Sob as ordens do general Dragão dos Mares, Thetis explica aos cavaleiros de bronze como é que eles devem proceder para salvarem a vida de Atena. Eles se dividem, cada um para um pilar determinado.

Pilar do Pacífico Norte. Seiya se depara com Bian, general de Cavalo Marinho. Com os ataques “Bênção de Deus” e “Sopro Ascendente”, o general mostra sua força, além de uma barreira de ar que bloqueia os meteoros do cavaleiro de Pégaso. Contudo, Seiya começa a reverter a luta, rompendo a barreira e atingindo o adversário. Ao elevar seu cosmo, sua armadura ganha um brilho dourado e derrota o general com os “Meteoros de Pégaso”. Porém, o mesmo golpe não cria qualquer fissura no pilar. Kiki recebe de Shina, amazona de prata de Cobra, a caixa da armadura de ouro de Libra e a leva até Seiya, que destrói o pilar com o escudo de Libra.

Pilar do Pacífico Sul. Shun encontra o general Io de Scylla. Este general ataca Shun com seus seis golpes representando as seis bestas de Scylla. Após convida o cavaleiro de Andrômeda a escolher o golpe que o matará. Sem fazer escolha, Io investe seus golpes, mas um a um é destruído pelas correntes de Andrômeda. Ao final, Shun prende Io com as correntes e decide atacar o pilar. Contudo, o pilar mantém-se firme. Nesse momento, Io se liberta das correntes e ataca Shun com seu golpe “Grande Tornado”. Mesmo diante dos ataques do marina, Shun concentra-se em atacar o pilar. Para evitar a derrota, Shun eleva seu cosmo ao máximo e prende novamente Io com as correntes. Nesse momento, Io não consegue se libertar e percebe que a armadura de Shun recebeu um brilho dourado. Kiki trás a armadura de Libra e, com o Nunchaku, Shun ataca o pilar. Io se joga para proteger o pilar e o nunchaku o atinge. O pilar é atingido logo em seguida, sendo destruído. Io morre.

Pilar do Índico. Shiryu chega no pilar que sustenta o Oceano Índico e encontra Krishna de Chrysaor. A lança dourada de Krishna atinge diversas vezes Shiryu, não poupando nem o escudo da armadura de Dragão, o mais resistente. Ferido, Shiryu ouve a voz de Shura, cavaleiro de ouro de Capricórnio, explicando-lhe que em seu braço direito estava o legado do cavaleiro dourado, a Excalibur. Shiryu inicia o contra-ataque e bloqueia a lança dourada de Krishna com seu escudo. Este obteve um tom dourado. Em seguida, o cavaleiro de Dragão tenta quebrar a lança de Chryisaor com Excalibur, mas não consegue. Krishna retruca com seu “Lança Relâmpago”, ferindo Shiryu. O general prepara-se para desferir o golpe final, mas o Dragão se esquiva e retira sua armadura. Ampliando o cosmo, Shiryu quebra a lança dourada e corta a armadura de Chrysaor no meio. Krishna cria uma barreira com seu Kundarini e ataca Shiryu com “Maharosini”. Shiryu perde a visão, mas consegue encontrar os Chacras de Krishna, derrotando-o com “Excalibur”. Com a chegada de Kiki, Shiryu destrói o pilar com a espada de Libra.

Pilar do Antártico. Hyoga chega no pilar e se depara com a presença de seu mestre, Camus, cavaleiro de ouro de Aquário. Por ele estar morto, começa a atacá-lo, pois tratava-se do marina guardião do pilar. Contudo, com o poder demonstrado e a utilização do “Execução Aurora”, Hyoga enfim acredita que ele é seu mestre. Seiya, sente-se que errou o caminho e se depara com o pilar do Antártico. Ele procura por Hyoga e vê Marin, sua mestra e amazona de prata de Águia. Marin tenta impedir o progresso de Seiya e mostra seu rosto, revelando-se ser Seika, irmã de Seiya. Shun tem a mesma sensação encontrada na casa de Gêmeos na batalha das 12 casas e chega no pilar do Antártico. Achando estranho ter errado o caminho, ele vê Seiya e Hyoga feridos. De repente, surge Ikki, seu irmão. Este tenta atacá-lo, mas é é impedido pela corrente. Nesse instante, ele se revela como Kasa de Lymnades. Após conseguir prender Kasa, este se transforma novamente em Ikki e Shun não consegue derrotá-lo. Kasa se livra das correntes e aplica seu “Choque Salamandra”. De repente, ressurge o verdadeiro Ikki, que foi desintegrado no salão do Mestre por Saga, e lhe aplica o seu “Ilusão de Fênix”. Kasa não consegue atacar Ikki por ver nele sua imagem e recebe o “Vôo da Fênix”. Kasa decide se transformar em Shun e ataca Ikki, que o derrota com um golpe atingindo o coração do adversário. Muito ferido, Kasa localiza no coração de Ikki a pessoa que este não atacaria – Esmeralda, mas sem poder pra tal ataque, falece. Kiki trás a armadura de Libra e Ikki destrói o pilar com o tridente. Hyoga desperta e decide avançar até o próximo pilar. Ikki segue em direção ao Templo de Poseidon.

Pilar do Ártico. Chegando ao quinto pilar, Hyoga depara-se com Isaac de Kraken. Hyoga relembra dos momentos em que ambos treinaram juntos sob a tutela de Camus de Aquário, até o dia em que, ao visitar sua mãe no oceano, Hyoga foi pego por uma correnteza e foi salvo por Isaac, mas este feriu um olho e desapareceu. Para pagar por tal perda, Hyoga concede a Isaac um dos olhos para ferir, o que é feito superficialmente. Isaac ataca constantemente Hyoga com seu “Aurora Boreal” até este cair desmaiado. Nesse momento chega Kiki com a armadura de Libra. Isaac tenta retirar a armadura do garoto, mas este impede e acaba sendo atacado pela fúria de Isaac. Hyoga desperta e coloca Kiki em um lugar para descansar e decide atacar Isaac. Hyoga derruba Isaac com seu “Pó de Diamante” e bloqueia o contra-ataque do “Aurora Boreal”. Neste momento, sua armadura reluz como ouro. No último assalto, Isaac dispara seu “Aurora Boreal” e Hyoga a técnica “Execução Aurora”, acabando aquele derrotado. Hyoga com uma tonfa destrói o pilar. Isaac chama Hyoga e diz-lhe que outra pessoa, e não Poseidon, preparou essa batalha. Isaac falece. Hyoga, em razão dos ferimentos, desmaia.

Caminho para Templo de Poseidon. Ikki ouve o estrondo a queda do pilar do Ártico e se depara com o general Dragão dos Mares. Este aplica a técnica “Explosão Galática”, de Saga de Gêmeos. Ao retirar o elmo, Ikki conclui que Dragão dos Mares era Saga, que deveria ter morrido no final da batalha no Santuário. O general se apresenta como Kanon, irmão gêmeo de Saga. Para se livrar de Ikki, Cânon aplica seu “Triângulo de Ouro”, mandando-o para uma outra dimensão.

Templo de Poseidon. Shina sente a derrota dos cinco cavaleiros de bronze e resolve atacar Poseidon. Derrota Thetis com a “Presa Relâmpago” e entra no Templo. Poseidon quebra a máscara de Shina e retira toda a energia vital dela.

Caminho para Templo de Poseidon. Kanon pressente a derrota de Shina e Sorento surge questionando se a batalha entre os marinas e os cavaleiros foi vontade de Poseidon ou dele apenas. Nesse momento, ambos sentem cosmos poderosos indo em direção a seus pilares e vão protegê-los.

Pilar do Atlântico Sul. Shun chega ao pilar, mas não encontra o guardião. De repente surge Sorento, com sua música. Shun ataca, mas Sorento retruca e começa sua “Sinfonia sem Saída”. Neste momento, o canto de Atena retira sua concentração e relembra dos momentos de medo que teve na batalha contra Aldebaran.

Templo de Poseidon. Seiya chega no Templo de Poseidon e Julian mostra a ele o Pilar Central, onde está Atena. Seiya ataca com os “Meteoros de Pégaso” ma seus golpes retornam contra si. Seiya se levanta mas Poseidon destrói sua armadura. Neste momento, chegam Hyoga e Shiryu, que protegem o amigo da morte.

Doze Casas, Santuário. Os cavaleiros dourados discutem entre si em observar ou não as ordens do mestre ancião. Nesse momento, a armadura de Sagitário sai de sua casa com destino o Santuário Submarino.

Templo de Poseidon. Poseidon destrói as armaduras de Hyoga e Shiryu. Poseidon sente que Atena ainda está viva. De repente, a armadura de Sagitário surge e recobre o corpo de Seiya, que prepara uma flecha para atirar.

Pilar do Atlântico Sul. Sorento está preocupado com os acontecimentos no Templo de Poseidon, mas terá que derrotar Shun primeiro. Com sua “Sinfonia sem Saída”, Sorento destrói as correntes que protegiam Shun, além da armadura. Sorento prepara seu “Clímax sem Fim”, mas Shun o imobiliza com a “Tempestade Nebulosa”. Sorento desfere seu golpe e Shun explode sua “Tempestade”, jogando o marina contra o pilar, derrotando-o. Kiki chega no pilar e encontra Shun desmaiado.

Templo de Poseidon. Seiya continua com a flecha preparada para disparar, quando houve o estrondo da queda do pilar do Atlântico Sul.

Pilar do Atlântico Norte. Ikki surge diante de Kanon. Este investe com seu “Explosão Galática” que é bloqueado por Ikki. Em seguida, este aplica o “Ilusão de Fênix”, fazendo com que Kanon reveja o seu passado, quando Saga o prendeu no Cabo Sounion e encontrou o Templo Submarino, despertando a alma de Poseidon, além de assumir o posto de general.

Templo de Poseidon. Seiya dispara a flecha, mas a mesma retorna e o atinge no peito. Seiya ataca a flecha novamente e esta é revertida novamente. Contudo, Shina se posta na frente de Seiya como um escudo e a flecha penetra suas costas.

Doze Casas, Santuário. A armadura de Aquário sai de sua casa e segue em direção ao Templo Submarino.

Templo de Poseidon. Shina retira a flecha de suas costas e entrega a Seiya para atirá-la. Seiya assim o faz e a flecha retorna novamente. Seiya protege Shina, mas Shiryu se posta de forma a proteger os dois. A flecha atinge o peito de Shiryu. Shun chega no templo e, junto com Hyoga, também protege Seiya. Os cosmos dos cavaleiros de bronze se unem à flecha que é disparada novamente. Agora, Poseidon não consegue modificar a trajetória da flecha e a mesma arranca o elmo de sua armadura. O cosmo de Poseidon desaparece e os cavaleiros de Atena atravessam o Templo em direção a Lâmina Principal. Nesse momento, Poseidon desperta.

Pilar do Atlântico Norte. Kanon e Ikki sentem o cosmo de Poseidon explodir e aquele vê seus planos irem por terra. Nesse momento surgem Sorento e Kiki. Kiki entrega a armadura de Libra pra Ikki que destrói o sétimo pilar.

Pilar Principal. Os cavaleiros seguem correndo até Atena quando uma bola de energia os atingem. Seiya se levanta e Poseidon dispara outra bola energética. Hyoga se levanta e posta-se na frente, recebendo o impacto. Novo golpe é desferido por Poseidon e a armadura de Aquário bloqueia-o. A armadura cobre o corpo de Hyoga que de dispõe a proteger Seiya. Poseidon libera mais um golpe e Hyoga o bloqueia com o “Execução Aurora”. O golpe do tridente avança contra os dois cavaleiros quando Shiryu bloqueia o avanço com o escudo de Libra. A armadura recobre o corpo do Dragão e Kiki, que trouxe a armadura, desmaia. Os três cavaleiros desferem seus golpes contra Poseidon, que cai pelo impacto. Os três começam a investir, com auxílio das armas de Libra, contra o Pilar Principal.

Pilar do Atlântico Norte. Kanon desfere vários golpes contra Ikki. Quando se prepara para eliminar o cavaleiro, Sorento começa a tocar sua flauta e decide matar Kanon pelo que ele fez com todos os marinas e Poseidon. Ikki o impede, pois precisa saber onde está guardado o Vaso de Atena. Kanon deveria dar-lhe a explicação porque quem tinha salvo sua vida quando no Cabo Sounion foi o cosmo de Atena. Kanon reluta em acreditar, mas diz que o Vaso está dentro do Pilar Prinicpal, junto a Atena. Ikki parte para o Templo de Poseidon. Sorento também abandona Kanon sozinho.

  • Todos Contra Poseidon

Pilar Principal. As armas de Libra não conseguem destruir o Pilar Central e Seiya decide se jogar contra ele. Poseidon desperta totalmente e atinge os três com seu cosmo. Os três se levantam novamente e se preparam. Poseidon aponta seu tridente e, de repente, Ikki segura-o. Ele avisa sobre a existência do Vaso no pilar. Hyoga e Shiryu jogam Seiya contra o Pilar, enquanto que Poseidon se livra de Ikki. O Deus dos Mares dispara seu cosmo contra Shiryu e Hyoga, que desmaiam, e tenta o mesmo com Seiya. Porém o cosmo de Seiya o protege e ele consegue atravessar o Pilar, realizando um milagre. De repente, o Pilar começa a ruir até desmoronar e Seiya surge com Atena nos braços. O Templo Submarino começa a desmoronar também. Poseidon investe seu tridente contra Seiya, mas o cosmo de Atena o bloqueia. Ela agradece a Seiya e vira o Vaso em direção a Julian. Poseidon decide atacar Atena, mas Seiya se levanta e aponta a flecha contra o Deus. O Deus dos Mares lança seu tridente e Kanon surge pra proteger ambos, sendo atingido pelo ataque de Poseidon. Kanon pede perdão por seus atos a Atena e cai com o tridente cravado em seu peito. Atena, então, abre o Vaso e a alma de Poseidon sai do corpo de Julian e é trancafiado no recepiente. Antes, ele lembrou Atena que os deuses do Olimpo se virarão contra ela em razão dessa rebelião. Thetis surge e compromete-se em salvar Julian da inundação do Templo Submarino. A água toma conta de toda área do Templo.

Cabo Sounion. Julian Solo está vendo o imenso mar quando ouve uma música de flauta. O flautista se apresenta como Sorento e se oferece a acompanhá-lo, o que é aceito. Julian decidiu viajar pelo mundo para ajudar as vítimas das enchentes que cobriram o planeta nos últimos dias. De repente, ele vê um peixe morto na praia e, triste, devolve-o ao mar.

[CDZ] Resumo da História da Saga dos Guerreiros Azuis


  • Os Guerreiros Azuis

No leste da Sibéria, Hyoga se aproxima de um local onde encontra um grupo de guerreiros cobertos com mantas. Ao que tudo indica, esses homens pertencem a um povo muito antigo que desapareceu após um frio extremo. São os cavaleiros do gelo, os guerreiros azuis.

Alexer, líder deste grupo de guerreiros, convida o cavaleiros de Cisne para se juntar a ele. Hyoga, percebendo seu diabólico plano se recusa e ataca seu oponente com seu “Diamond Dust”. Alexer detêm o ataque com facilidade contra-atacando com seu “Impulso Azul”. Hyoga é capiturado e levado como prisionaiero ao palácio.

Natasha é a irmã de Alexer e está muito preocupada com as intenções do irmão. Segundo ela, Alexer havia sido expulso por seu pai Piotr e agora, passados cinco anos, retornou para matar o pai, tomar o trono, e partir para a conquista de mais terras. Natasha implora a Hyoga para que detenha Alexer, pois se seu pai morrer ela se matará.

Em outra parte do palácio, Alexer assassina o pai partindo-o no meio. Neste momento um guarda chega para avisar que Hyoga havia acordado. No calabouço, o cavaleiro de Cisne está refletindo a respeiro do pedido de Natasha, seus pensamentos são interrompidos com a chegada de Yakoff, que entrou no calabouço através de um buraco feito na parede. Yakoff conta que as terras onde vivem foram invadidas pelos soldados de Alexer.

Alexer entra no calabouço onde Hyoga está para lhe perguntar mais uma vez se o cavaleiro deseja aliar-se a ele. Como resposta, Hyoga avisa que preferia estar morto a se juntar a uma pessoa com pensamentos tão perversos e pede para não matar o pai por causa de Natasha . Alexer avisa que é tarde demais, pois Piotr já estava morto.

O líder dos guerreiros azuis sai do calabouço deixando Hyoga com seus soldados que deveriam exterminar o cavaleiro de Atena. Neste momento, Hyoga eleva seu cosmo libertando-se das correntes. Yakoff joga a caixa da armadura de Cisne que se abre e segue para o corpo de seu cavaleiro para defendê-lo. Depois de vencer os guardas, Hyoga pede para que Yakoff procure Natasha e segue para encontrar Alexer.

Hyoga chega até uma grande sala no palácio onde encontra Alexer, ambos se enfrentam com ar congelado, mas Hyoga , desta vez, parece ser mais forte e joga Alexer com força para trás. Alexer contra-ataca com seu “impulso azul” mas o cavaleiro de Cisne consegue deter o ataque com apenas uma das mãos.

A luta entre ambos é interrompida com a chegada de Yakoff que avisa que Natasha ficou no meio da nevasca e está presa dentro de uma esquife de gelo. Hyoga e Alexer vão depressa ao local. Hyoga , com sua força, consegue libertar Natasha . Com lágrimas nos olhos, Alexer pede perdão a Natasha que jaz inconsciente em seus braços.

Alexer pergunta a Hyoga por que não o matou. Hyoga com olhar calmo responde que não tinha o desejo de tirar o último motivo pelo qual Natasha tinha para viver. O cavaleiro de Cisne se afasta do local na compania de Yakoff enquanto Alexer observa atentamente a partida do valorozo cavaleiro de Atena.