Arquivos do Blog

[Prologo do Céu] Resumo do Filme


  • O Ataque dos Anjos

O filme começa com Toma, Odysseus e Theseus atacando o inerte Seiya, que está em uma cadeira de rodas, aos cuidades de Saori, em um chalé perto de um lago. Saori surge para proteger Seiya. Os Anjos, como são chamados os Cavaleiros Celestiais, não conseguem tocar em Saori, e logo desistem do ataque. Artemis aparece para confrontar a irmã mais nova. Artemis diz que a Terra deve ficar nas mãos dos deuses, pois os humanos são pecadores. Saori entrega o báculo de Niki e controle da Terra em troca do perdão e da vida do Seiya e de tona humanidade.

  • Saori Abre Mão da Terra?

Artemis toma o báculo e, junto com os Anjos, desaparece. Saori parte logo em seguida, fazendo com que Seiya desperte e se levante da cadeira de rodàs. Ele vai caminhando para o Santuário, onde encontra Shina, Jabú de Unicómio e Ichi de Hidra, que tentam detê-lo, mas em vão. Durante o caminho para o Santuário, Seiya se lembra dos momentos de sua luta contra Hades, quando ele usava sua kamei e foi atingido no peito pela espada do imperador do mundo dos mortos (lembrando que essa parte ainda não foi produzida em animê). Entretanto, Seiya não usa em nenhum momento do filme a sua kamei.

  • Shun é Atacado por Theseus

Enquanto isso, Shun usa suas correntes para escalar um grande penhasco perto do Santuário. De repente, ele é atacado por Theseus, sendo arremessado contra um paredão de pedra que parece ser uma enorme muralha. Mas quando ele olha bem, percebe que, na verdade, se trata de uma gigantesca escultura de pedra, formada por ramificações dos corpos dos Cavaleiros de Ouro.

  • Os Cavaleiros de Ouro

Shion e 12 Cavaleiros de Ouro estão juntos, porém, só se consegue observar as formas de Saga, Mú, Shura e Shion; os outros não se consegue ver direito, no entanto estão todos juntos compactados na mesma estátua, seus rostos formam um tipo de árvore monstruosa. A primeira aparição dos Cavaleiros de Ouro é em um lugar escuro. Eles estão rodeados de sombras, que parecem ser os deuses Apollo e Artemis. Somente Shion e Dohko falam com os deuses. Eles afirmam que seus espíritos nunca morrerão e que protegerão Athena para sempre. Os Cavaleiros de Ouro são mostrados muito rapidamente, não sendo possível distinguir todos eles com exatidão. Contando com Dohko e Shion, 13 cavaleiros estão presentes.

  • A Derrota de Theseus

Shun está em desvantagem, mas Ikki aparece para ajudá-lo, como sempre. Ikki está usando sua terceira armadura (restaurada na fase de Hades), assim como Shun e os outros, porém a luta é difícil e Ikki também é derrubado. Shun se levanta. Ikki se ergue logo em seguida e os dois juntos vencem Theseus, que, com isso, percebe o motivo pelo qual os deuses querem acabar com os Cavaleiros de Bronze. Shun carrega Ikki consigo até o local onde Athena está.

  • O Poderoso Odysseus

Seiya encontra com Shiryu e Hyoga.

Shiryu tem sua armadura totalmente destruída e está flutuando em um tanque com água, enquanto Hyoga está em posição de ataque, e seu corpo se encontra quase todo congelado. Os dois haviam enfrentado Odysseus, que tem o poder de reverter os ataques contra eles. Seiya enfrenta Odysseus, ainda sem sua armadura, enquanto o Anjo está bem protegido por sua “Glória” (Glory – a armadura dos Cavaleiros Celestiais). Shiryu e Hyoga se levantam mais uma vez para enfrentar o poderoso inimigo. Seiya acredita na força deles e abandona o local, deixando-os para trás. Mais tarde, Shiryu e Hyoga encontram com Seiya e os outros. Após isso os cavaleiros de Dragão e Cisne caem no chão, e em seguida Ordysseus é eliminado.

  • Thoma de Ícaro

Seiya enfrenta Thoma e quase é eliminado, mas Marin aparece para revelar que Thoma é seu irmão, há tempos desaparecido. Thoma ignora Marin. Ele só pensa em cumprir a missão dada por Artemis: eliminar os Cavaleiros de Bronze, para que ele se torne tão poderoso quanto os deuses do Olimpo. Marin insiste falando do passado e de seus pais. Também fala sobre as virtudes da humanidade. Mas ele a ignora, derrotando-a junto com Seiya. Thoma parte para junto àe Artemis e ela lhe revela que ele é o único humano escolhido para servi-la. Seiya chega para impedir que Saori derrame seu sangue na fonte de redenção em nome da humanidade. Ela consegue o cetro de volta das mãos de Artemis. Thoma enfrenta Seiya, mas, dessa vez, ele não consegue derrotá-lo. Tôma quase cai de um penhasco, mas Marin aparece para salvá-lo. Os dois conversam sobre o passado e a humanidade. Ele acaba recobrando a memória e lembra que sempre jurou protegê-la, por isso desejou se tomar um dos Cavaleiros Celestiais.

  • Luta entre Irmãs

Artemis dispara uma flecha contra Saori, mas Tôma se joga em sua trajetória e é acertado no peito, tombando nos braços de Marin. Ele afirma que Artemis não deve sujar as mãos com sangue e depois perde a consciência. Não se sabe se ele está morto ou não.

  • Apollo, Deus do Sol

No final do filme, Apollo surge e Seiya se joga contra ele sem nenhuma roupa ou armadura. Os créditos finais começam a passar na tela ao som da música NEVER da banda MAKE- UP. E quando se espera que o filme tenha acabado, surge Seiya vestindo sua mais nova armadura, atacando Apollo.

[Os Guerreiros do Armagedon] Resumo do Filme


  • O Pior dos Inimigos

Com a derrota de Poseidon, parecia que a paz voltaria a reinar na Terra. Mero engano: o pior estava por vir. Quando os Guerreiros de Atena mandaram os cosmo de Abel, Éris e Poseidon para o inferno, não suspeitavam que essa energia fosse reviver Lúcifer, o mais cruel dos demônios. Lúcifer já foi um dos mais belos anjos do céu. Por se achar muito poderoso, desafiou as leis de Deus e foi expurgado para o inferno pelo Arcanjo Gabriel (Atena na Mitologia Grega). Agora livre de seu cárcere, Lúcifer pretende se vingar da deusa da Justiça e destruir o mundo. Para alcançar seu maléfico objetivo, Lúcifer tem que enfrentar os destemidos Cavaleiros de Bronze.

  • Os Anjos Caídos

Lúcifer traz consigo quatro Cavaleiros: Ashtarote, Moa, Erigor e Belzebú. O quarteto demoníaco invade o Santuário e vence rapidamente os Cavaleiros de Ouro: Mú de Áries, Aldebaran de Touro, Aiolia de Leão, Shaka de Virgem e Milo de Escorpião. No topo das 12 Casas, Lúcifer arranca a cabeça da estátua da deusa com um simples golpe. Após isso, em uma montanha próximo ao Santuário, ergue-se o Santuário de Lúcifer chamado Pandemônio. Depois, começa o Apocalipse na Terra. Ondas torrenciais destroem as cidades litorâneas. Vulcões explodem e bombardeia vilarejos e mortais vírus surgem e matam as pessoas. Desastres um pouco familiares. Em socorro, Atena vai ao encontro de Lúcifer no Santuário. A deusa descobre que, para salvar a Terra, tem que encontrá-lo em seu palácio Pandemônio. Para chegar lá, ela tem que passar por vários obstáculos ao longo do caminho. Seiya, Hyoga e Shun, sem suas armaduras, são facilmente derrotados pelos quatro Cavaleiros do Armagedon. Enquanto Saori inicia sua jornada no palácio de Lúcifer, os três Cavaleiros de Bronze, muito feridos, vão se recuperar no hospital. Sabendo da notícia, Shiryu visita os amigos e toma conhecimento do que está acontecendo. É hora de ignorar a dor. Seiya, Shun, Hyoga e Shiryu vão em socorro de Atena no palácio Pandemônio. Logo na entrada, os Cavaleiros são recepcionados por Belzebú e Ashtarote. Como o tempo é escasso, Shiryu fica para enfrentar sozinho os dois servos de satã, enquanto os demais continuam a subir pelas escadarias do palácio.

  • O Poder do Dragão

Ashtarote parte para o combate. Shiryu tenta se defender com seu escudo do Dragão, mas a arma se desfaz em pedaços ao primeiro golpe da Picada de Cobra de seu inimigo. Shiryu é ferido gravemente mas as garras de Ashtarote varam o corpo do Dragão. Ainda assim ele concentra seu Cosmo e dispara seu Cólera do Dragão, conseguindo mandar seu adversário de volta para o inferno. Belzebú, que até então só observava o combate, entra em ação. Shiryu, muito ferido, se torna uma presa fácil. Com uma única investida do comandado de Lúcifer, Belzebú ataca Shiryu com suas Asas do Inferno. Shiryu cai desacordado. Vencedor do combate, Belzebú parte para junto de seu chefe.

  • A Queda de Andrômeda

O próximo Cavaleiro de Lúcifer a aparecer no caminho de Seiya, Hyoga e Shun é o estranho Erigor de Mantis. O Cavaleiro de Andrômeda fica com a missão de duelar com as presas afiadíssimas do gafanhoto diabólico. Utilizando sua corrente circular, Shun cria sua defesa em forma de teia de aranha para conter os golpes de seu inimigo. Mantis fica pouco tempo preso. Ele destrói a corrente e abate Shun, após ter estilhaçado a Armadura de Andrômeda. Fraco e atordoado, Shun ainda tem seu coração atingido pelas presas de Erigor. O servidor de Satanás tenta decepar a cabeça do Cavaleiro de Andrômeda quandi Ikki interfere.

  • Fênix em Ação

O cavaleiro de Fênix já chega aplicando seu Golpe Fantasma. Erigor não dá importância e arranca a cabeça de Ikki, que vomita um enxame de insetos. O Cavaleiro de Mantis é golpeado e então percebe que tudo não passou de uma ilusão criada pelo golpe alucinógeno de Fênix. Assim, Ergior também é mandado de volta para o inferno. Shun fica largado no chão implorando pela ajuda do irmão, mas Ikki dá as costas para o Cavaleiro de Andrômeda e parte dizendo ser mais importante salvar Atena e acabar com Lúcifer.

  • A Fantasia Demoníaca

Moa é o próximo enviado de Lúcifer a combater um dos defensores de Atena. Como Seiya prossegue seu caminho, Hyoga permanece para enfrentar as ilusões malditas do Cavaleiro das trevas. Hyoga ataca Moa e chega a congelá-lo, mas ele escapa facilmente. Então, Moa ataca Hyoga com seu Demônio de Fantasia. O Cavaleiro de Cisne se vê num lindo lugar, cheio de fadas e borboletas. Agora, o servo de Lúcifer ataca disfarçado na imagem da mãe de Hyoga. Enquanto o cavaleiro de Cisne se entristece todo, Moa vai deferindo seus poderosos golpes. Hyoga não tem outra escolha senão contra-atacar. Por mais difícil que seja golpear a própria mãe, o Guerreiro de Gelo invoca seu Cosmo e aniquila definitivamente seu inimigo com seu Trovão Aurora Ataque.

  • A Vingança de Lúcifer

Seiya chega ao topo do Pandemônio, onde Lúcifer assiste Atena afundar no mar de espinhos que cobre as escadas do Palácio, que a deusa tenta escalar. Saori sangra muito e tem sua roupa quase totalmente rasgada. Belzebú, que aguardava o Cavaleiro de Pégaso, golpeia Seiya fortemente. Atena, incansável, continua sua subida. Lúcifer vê sua vingança sendo consumada: Abel ordena que os vulcões cubram a Terra de fogo; Éris envia uma peste para matar todos os seres vivos; Poseidon destrói as cidades litorâneas com seus maremotos. Ikki chega para auxiliar Seiya, mas é golpeado fortemente por Lúcifer. Belezebú está prestes a matar o Cavaleiro de Pégaso quando Shun e sua corrente o salvam. Em seguida, Hyoga e Shiryu chegam para enfrentar o último Cavaleiro.

  • Seiya e a Armadura de Sagitário

Infelizmente, Dragão e Cisne estão fracos demais e não conseguem deter Belzebú. Seiya eleva seu Cosmos ao máximo alcançando seu Sétimo Sentido. Os demais Cavaleiros de Bronze transmitem sua energia para fortalecer ainda mais o companheiro. Neste momento, a Armadura de Sagitário é enviada para o Cavaleiro de Pégaso. Belzebú menospreza os poderes de Seiya e ataca. O Cavaleiro de Atena, agora com a poderosa Armadura de Ouro pertencente a Aiolos, detona seu inimigo com seu Cometa de Pégaso e põe fim ao combate. Resta apenas Lúcifer.

  • A Última Traíção

O Mestre dos Demônios, percebendo a ameaça da derrota, toma Atena em seus braços para levá-la consigo para o reino das trevas. Seiya saca a flecha da justiça de Sagitário para atacar Lúcifer, quando um fato inusitado ocorre. Todos os cavaleiros de Ouro remanescentes, mais as demais Armaduras de Ouro, se fundem num só Cosmo maguinânimo que invade Seiya. Agora, o Cavaleiro, ajudado pelos anjos, dispara sua flecha de ouro, que atravessa o coração de Lúcifer. Os espíritos de Lúcifer, Abel, Éris e Poseidon são novamente mandados de volta para o inferno, de onde nunca deveriam ter saído. O Palácio Pandemônio vem abaixo, coroando o fim dos intuitos perversos de Lúcifer.

 

[A Lenda dos Defensores de Atena] Resumo do Filme


  • A ressurreição de Abel

Atena esta sentando em um jardim de divertindo quando chega Abel. Abel é irmão de Atena, o deus sol. Eles vão para uma casa e ele á explica que ele ressurgiu para aplicar o castigo divino,pois os humanos haviam pecado muito. Seiya e os outros chegam ao local. Lá conhecem Atlas de Carina, Jao do Lince e Nerengue,o coma de berenice.Esses são os cavaleiros da Coroa do Sol. Eles falam aos cavaleiros que protegerem Atena a partir daquele dia com a ajuda de Saga de Gemes, Afrodite de Peixes, Mascara da Morte de Cancer, Kamus de Aquario e Shura de capricónio, que foram ressuscitados pelo poder de Abel. Seiya e Abel se encaram.

  • A perda de Atena

Seiya tenta alcançar Saori, pois não entende porque ela está o abandonando,mas é atacado por Atlas. Saori e Abel entram na casa e os cavaleiros de bronze vão embora.

Shiryu vai aos cinco picos antigos perguntar para o mestre ancião sobre Abel. O sábio mestre diz ao dragão que Abel voltou para se vingar, pois no passado, ele fez com que Zeus e Apolo tivessem medo dele, que acabou sendo punido.Assim,ele tomou o posto do Deus do sol,porem caiu no esquecimento da história.

Enquanto isso, Saori tenta atacar Abel mas é impedia por ele. Ela afirma que ela é a protetora da Terra e não pode deixar que ela seja destruía em nome dos deuses. Nesse momento, Abel lança uma bola de energia que acaba enviando Saori para o mundo os mortos. Shura e Kamus atacam Abel, pois não pode perdoa-lo por ele ter matado Atena, mas são mortos pelos Guerreiros da Coroa do Sol.

  • A esperança dos cavaleiros

Seiya vai ao templo para saber o que houve com Saori mas é pego por Atlas.Enquanto isso, Shiryu salva Shun de cair num baita precipício. Eles juram que se encontraram no templo e Abel para derrotá-lo, e se separam. Seiya tenta lutar contra Atlas,mas é derrubado pela Coroa de Fogo.

Em outro lugar, Shiryu encontra Máscara da Morte. O cavaleiro de câncer o envia para o Seikishiky com as ondas do inferno. Lá explica para o Dragão que ainda á uma chance de salvar Saori. Ela ainda não caiu no Yomotso, o buraco que leva para s mundo os mortos.

Ela esta sendo jogada para lá pouco á pouco pelo cosmo de Abel.Se os cavaleiros conseguissem interromper o cosmo de Abel, eles salvariam Saori.

  • O contra ataque dos cavaleiros de Bronze

Shiryu derrota mascara da morte com seu cólera do Dragão,mas cai com o ataque de Berengue. Ao mesmo tempo, Shun encontra Afroite. Sua tempestade Nebulosa não faz nada cm o cavaleiro de peixes,que é atingido por uma rosa Sangrenta,mas,novamente ele é salvo por Ikki. O cavaleiro de Fênix aplica seu Ave Fênix e derrota Afroite, mas cai também com o ataque de Atlas.

Enquanto isso, Saga chega ao local aonde Seiya esta e explica á ele que á um modo de salva Saori.

Hyoga encontra Abel. O Deus pede para que ele construa um Ataúde de gelo para Atena, mas ele se recusa. Berengue luta contra Hyoga. Ele envolve Hyoga com seus longos cabelos e destrói sua armadura de Cisne. Porem, Hyoga eleva seu cosmo e o derrota.

Seiya eleva seu cosmo e derrota Saga. Jao chega ao local, mas é derrotado por Saga que se sacrifica para faze-lo.

  • A batalha final

Hyoga entra no templo da Coroa aonde é atacado por Atlas,que é salvo pelas correntes de Shun. Shun também é derrotado. O mesmo acontece com Shiryu e Seiya.

Seiya, Shiryu e Hyoga, não desistem e elevam seus cosmos e vestem as armaduras de ouro de Sagitário, Libra e Aquário. Eles derrotam Atlas, mas Shiryu e Hyoga são derrotados por Abel.

Seiya encara o Deus mas seus Meteoros não o atingem. Ele e os outros cavaleiros elevam seus cosmos e salvam Atena que estava a beira da morte. Saori vai correndo ao seu amado.

Abel resolve enviar Atena para o muno dos mortos de uma vez, mas Seiya se levanta e atira a flecha de Sagitário, derrotando o Deus. O Templo da Coroa é destruído, e mais uma vez o mundo é salvo pelos sagrados cavaleiros de Atena.

 

[A Grande Batalha dos Deuses] Resumo do Filme


  • Sobre Asgard

Asgard é conhecida na mitologia escandinava (ou Viking) como a Casa dos Deuses. Foi construída por Odin, com a ajuda de algumas deusas no início dos tempos. Os mortais não tinham acesso a Asgard, uma vez que a residência dos deuses flutuava sobre a Terra. A única maneira de alcançar Asgard pela Terra (chamada de Midgard) pelo deuses, era através de um arco-íris, cujas cores ardiam em fogo, o que impossibilitava os humanos de subirem até os reinos de Odin. Em contrapartida, os deuses tinham livre trânsito entre Asgard e Midgard.

  • O Desaparecimento de Hyoga

Tudo começa nas longínquas e geladas terras da Sibéria. Lá encontramos vários cavaleiros com armaduras estilo Viking, espancando outro cavaleiro do mesmo estilo. Vendo tal covardia, Hyoga acaba salvando o cavaleiro surrado, que lhe conta sobre o mal que paira sobre Asgard. Estranhamente, Hyoga não retorna para junto de Saori e dos demais Cavaleiros. Levanta-se a hipótese do Cavaleiro do Gelo ter “sumido” nas terras do domínio de Odin. Cabe aos defensores de Atena descobrirem seu paradeiro e resgatá-lo.

Saori, Seiya, Shun e Shiryu vão até Asgard para obterem mais informações sobre o companheiro desaparecido. Em Asgard, Saori questiona Durval, representante de Odin na Terra, sobre Hyoga mas ele diz não saber de nada. Ainda no castelo de Odin, conhecemos o primeiro cavaleiro da linhagem dos Guerreiros Deuses de Odin: Loki. Na saída do gigantesco castelo, Saori conhece Frey e sua irmã Freya. Na hora, os olhos da deusa Atena brilham ao ver Frey.

Frey acompanha Saori e seus cavaleiros para fora do castelo. Lá, Seiya, Shun e Shiryu conhecem os outros Guerreiros Deuses: Ur, Rung e o esquisito Midgard, cujo Cosmo chama a atenção de Shiryu, não por se mal, mas por ser conhecido.

  • O Prólogo da Batalha

Saori, Shun, Shiryu e Seiya são acomodados por Frey em uma pequena, porem acolhedora, casa. Surge na porta um guerreiro do tipo Viking. Ele traz consigo o capacete do Cisne todo trincado, indicando que Hyoga deve estar em apuros. Imediatamente Seiya organiza a busca. Ele e Shiryu sairiam em busca do amigo enquanto Shun permanece com Saori. Enquanto isso, no castelo Valhalla, Frey discute com Durval, na tentativa de impedir o começo da batalha dos deuses. Aparentemente Durval concorda, mas basta Frey virar as costas para o temível líder de Asgard desfirer um poderoso golpe. Frey é preso na masmorra do palácio de Odin.

Agora é a vez de Saori tirar satisfação com Durval. O líder da irmandade de Odin não atura o interrogatório, e tenta golpear a moça. Só que nada acontece, pois seus poderes de deusa impedem. Durval, então, aplica-lhe um inusitado golpe: Escudo Odin. Ele suga a deusa para suas entranhas e Saori aparece como uma carranca no barco que envolve a gigantesca estátua do deus nórdico.

A coisa complicou de vez. Agora, além de encontrar Hyoga, os Cavaleiros de Bronze terão de salvar Saori. Começa uma escalada a Asgard para salvarem a deusa Atena. Na subida pelas laterais do palácio, Shun se depara com Ur. Shun invoca sua constelação protetora e ataca Ur com sua Corrente de Andrômeda que é destruída rapidamente pela poderosa espada de Ur, além de abrir uma enorme vala. Enquanto Shun enfrenta Ur, Shiryu percorre os bosques de Asgard, onde se depara com o estranho Midgard.

  • A Batalha contra os Guerreiros Deuses

O integrante da tropa de Odin tira seu capacete e a máscara que cobre seu rosto. Para a surpresa de todos, inclusive de Shiryu, Midgard na verdade é… Hyoga!!! O Cavaleiro de Dragão respira aliviado e vai cumprimentar o amigo mas Hyoga já não é mais o mesmo, ele aproveita o aperto de mão de Shiryu para congelar seu braço direito e, consequentemente, o punho do Dragão.

Midgard/Hyoga aproveita a perplexidade de Shiryu para atacá-lo. A princípio, o pupilo do Mestre Ancião, tenta não enfrentar seu amigo, mas Hyoga confessa estar do lado de Durval e dos Guerreiros Deuses e que eles eliminarão a irmandade de Atena e dominarão o mundo. A briga tem sequência. Hyoga destrói a armadura do Dragão. No meio da luta os dois caem dentro de um lago, onde Shiryu não tem outra alternativa senão enfrentar seu “antigo” amigo. Hyoga congela o lago, predendo as pernas de Shiryu no gelo. Em seguida o Cavaleiro de Gelo prepara-se para atacar com seu golpe Trovão Aurora Ataque. Shiryu não deixa por menos e invoca seu poderoso Cólera do Dragão.

O ataque é simultâneo e as consequências são desastrosas. O golpe do ex-cavaleiro de Cisne congela o enorme Dragão de água criado por Shiryu. Hyoga é lançado contra o paredão que represa o lago, e cai desmaiado com sua armadura de Midgard destruída.

O Cavaleiro de Dragão, que parece ter sofrido um pouco menos com o impacto do golpe, cai desacordado nas águas congeladas.

Andrômeda continua lutando contra Ur e sua espada flamejante. O guerreiro de Odin se prepara para exterminar o cavaleiro de Andrômeda quando ele sente as chamas da Ave Fênix envolvendo-o totalmente. Do meio do fogo surge Ikki, arrastando pelos cabelos o corpo carbonizado de Ur. Shun se anima com a chegada do irmão, mas não há mais tempo para comemorações, em seguida aparece o gigantesco Rung que ataca Ikki e Shun com seus bumerangues. Os bumerangues atiram Shun precipício abaixo, mas com suas correntes, o Cavaleiro de Andrômeda consegue interromper a queda. O Guerreiro Deus ataca o Cavaleiro de Fênix, que é mais ligeiro e aplica seu Golpe Fantasma de Fênix em seu gigantesco inimigo. Rung mostra-se invulnerável ao golpe do defensor de Atena, e o ataca com seus dois bumerangues, que atingem o peito de Ikki. Para a infelicidade do Guerreiro Deus, tudo era uma ilusão causada pelo Golpe Fantasma, e ele sim, havia sido atingido por suas próprias armas. Ikki vai ao auxílio de Shun, ainda pendurado. Rung se levanta e pega o Cavaleiro de Fênix pela perna, desferindo vários golpes, mas repentinamente, o solo cede e os três caem abismo abaixo.

Amanhece em Asgard. Seiya corre para salvar Saori. O Cavaleiro de Dragão continua desmaiado. Hyoga desperta e caminha sem rumo. Shun e Ikki estão suspensos no precipício pela corrente de Andrômeda. Saori continua presa à proa do navio de Odin. Seiya se aproxima da prisão da deusa Atena. Surge Loki. O Guerreiro Deus de Odin ataca o Cavaleiro de Pégaso com sua Garra do Lobo. O golpe de Loki parece uma alcatéia de lobos sanguínarios. O defensor de Atena é jogado longe, mas consegue reunir forças suficientes para contra-golpear seu adversário. Loki não perde tempo e golpeia Seiya com a Tempestade de Odin. O Cavaleiro de Pégaso se refaz do golpe e revida com seus Meteoros de Pégaso. Loki fica atordoado pelo golpe, Seiya aproveita e desfere um golpe fatal. O servo de Odin morre aos pés de Seiya. O Cavaleiro de Atena nem tem tempo de respirar e já aparece Durval para enfrentá-lo. O poderoso líder dos já falecidos Guerreiros Deuses evita os golpe de Seiya, uma vez que ele é super veloz, até mais que os próprios Cavaleiros de Ouro. Rapidamente Seiya tem sua armadura destruída. Durval começa a drenar o Cavaleiro para seu interior, mas Shun surge oportunamente e resgata o amigo das entranhas do perveso Durval.

Durval está vestindo uma armadura magistral, que protege todo seu corpo. Hyoga chega ao local da batalha. Durval ordena que o guerreiro do gelo liquide Seiya mas Hyoga explica que ele é um dos santos guerreiros protetores de Atena. Agora sim, o Cavaleiro de Cisne ataca Durval com seu Trovão Aurora Ataque, congelando-lhe as pernas. Esse golpe é o mesmo que o Mestre Cristal ensinou para Hyoga e que foi usado para derrotar o gigante Dócrates. Mas de nada adianta, o impetuoso Durval agarra o Cavaleiro de aplica-lhe um poderosíssimo golpe que cai quase morto no chão. Durval volta-se para Seiya e o ataca. Ikki se põe na frente e impede que o Cavaleiro de Pégaso seja atingido. Com Hyoga, Shun e Ikki desmaiados, o líder dos guerreiros deuses pega Seiya pela cabeça e tenta esmagá-lo em frente à hipnotizada Saori. Quando tudo leva a crer que o poder das trevas se sobressairá, surge a sagrada Armadura de Ouro de Sagitário em auxílio. Ela envolve Seiya que retorna irado para o confronto com Durval.

  • A Batalha Final

Seiya está com a Armadura de Ouro. Shun, Shiryu, Hyoga e Ikki recobram a consciência. Durval arregala os olhos e prepara-se para uma verdadeira batalha dos deuses, que ele tanto almejava. Com a Armadura de Sagitário, Seiya dispara seus meteoros com muito mais poder e velocidade, que atingem direto o peito de Durval, que fica muito ferido. O Cavaleiro de Pégaso saca o arco e flecha, e se prepara para liquidar Durval, que o alerta para o fato de que se ele morrer, Saori também morrerá junto. O problema é o seguinte: acima do barco em que Saori está presa como carranca, existe uma enorme estátua de Odin segurando uma espada e seu escudo e na cabeça da estátua existe uma incrustação de cristais. Eles são chamados de “Cérebro de Odin”, e estão ligados diretamente à alma de Durval. Então, se Durval morrer, o cérebro morre junto. Nest caso, a estatua desmoronará e, consequentemente, Saori morrerá. Por causa da situação complicadíssima, Seiya baixa a guarda para a felicidade de Durval, que solta alguns risos sarcásticos.

Mas nem tudo está perdido. Frey é libertado por sua irmã Freya e começa a escalar a estátua de Odin em direção ao “Cérebro de Odin”. Durval em pânico ataca Frey. Os golpes do vilão são tão fortes que acabam lançando Frey em cima do “Cérebro de Odin”. É o momento de uma das cenas mais emocionantes das histórias dos Cavaleiros do Zodíaco: Frey queima seu Cosmo para fincar a espada no “Cérebro de Odin”. Saori permanece imóvel na proa do navio. Durval aterrorizado saca sua espada e tenta atingir Frey. Seiya queima seu Cosmo e mira a flecha de Sagitário em Durval. Tudo tem que ser sincronizado para salvar Saori. Seiya dispara a flecha que quebra a espada de Durval e o atinge no peito, ao mesmo tempo que Frey vara o Cérebro de Odin com sua espada. Luzes saídas da espada rasgam o céu. A estátua desmorona junto com Frey sobre Durval. O navio de Odin se ergue em direção as estrelas e Saori se solta da proa e desaba em queda livre, até ser aparada pelos braços de Seiya, seu mais valoroso Cavaleiro. É o fim de Durval, esmagado pelo destroços da estátua, e do mal que pairava sobre Asgard e a Terra.

Os restos da estátua são cobertos por flores e por uma gigantesca árvore, que é uma citação à “Árvore do Universo” onde o deus Odin morreu enforcado.

[Saint Seiya: O Santo Guerreiro] Resumo do filme


  • No Orfanato

Tudo começa em um dia descontraído no orfanato Filhos da Estrela. Akira está brincando com seu avião de brinquedo e mas Makoto pega o avião e ataca longe. Akira resolve correr atrás de seu avião, em meio aos carros que passam em alta velocidade pela rua. A tragédia seria consumada caso Hyoga não aparecesse para deter um carro que iria de encontro ao pequeno Akira. Entretanto, uma das melancias que Hyoga carregava acaba sendo atropelada pelo carro.

Shun e Seiya distraem a criançada enquanto rola a maior paquera entre Hyoga e Eiri, ajudante de Minu na instituição. Já a noitinha, Hyoga e Eiri vão ao cais para conversar. Durante sua conversa com a bela moça loira, o Cavaleiro de Cisne se deslumbra com uma estrela cadente. Esse é o presságio para os eventos que virão logo em seguida. De dentro da estrela que rasgava os céus foi jogado um objeto: era a maçã de ouro. Instantaneamente os olhos da meiga Eiri se petrificaram. Hyoga se despediu da moça e foi se recolher, mas ela seguiu em direção da “maçã cadente”. Finalmente a maçã tocou o solo de uma montanha onde se ergueu o Santuário da deusa da discórdia. Eiri, hipnotizada, segue em direção ao Santuário. A cada passo a essência da deusa domina seu corpo.

No dia seguinte, em meio ao bosque, surge Saori cavalgando ligeiramente ao encontro de Eiri. Ao encontrá-la, a líder dos Cavaleiros de Bronze tem uma surpresa: aquela meiga moça já havia sido totalmente encorporada por Éris.

A deusa má quebra a perna do cavalo em que Saori cavalgava. Saori cai e imediatamente é levada para o novo Santuário das Trevas. Éris, já em seu Santuário, prende Saori em um tipo de cruz de pedra e atira junto ao coração da deusa Atena a maçã de ouro. Essa maçã não é fincada no peito de Saori porém ela tem o poder de sugar as forças da deusa e se alguém não salvá-la ela morrerá.

  • Novo Desafio

Éris, ao lançar sua maçã de ouro contra o coração de Saori, enviou também um desafio para Seiya, Shiryu, Hyoga e Shun: eles teriam de proteger sua líder. Para tanto, Éris mandou junto com o desafio a localização do novo Santuário. A deusa ressuscita os temidos Cavaleiros Fantasmas, seus servos e seguidores. São eles: Jaga de Orion, Orfeu de Harpa, Kraisto do Cruzeiro do Sul, Yan de Escudo e Maiya de Sagita. Esses cinco Cavaleiros terão a missão de eliminar Seiya e seus amigos, que tentarão salvar Saori.

Os quatro Cavaleiros de Bronze chegam ao local demarcado e se separam para facilitar o acesso até a sala onde Saori está presa.

  • Seiya contra Maya de Sagita

No pé da montanha, onde se localiza o Santuário de Éris, o Cavaleiro Fantasma Maiya de Sagita encontra o Cavaleiro de Bronze Seiya de Pégaso. Tem início o combate. Maiya e Seiya trocam golpes no ar mas como não há muito tempo, o Cavaleiro de Pégaso tem de agir rapidamente. Seiya ataca Maiya que se utiliza de seus poderes para que os meteoros de Pégaso dissipem sua força. O Cavaleiro Fantasma prepara seu contra-ataque. Maiya ataca Seiya com suas Flechas Envenenadas (esse cavaleiro é semelhante a outro personagem do desenho, o Tremy de Flecha). O golpe de Maiya são centenas de flechas fantasmas que se materializam. Seiya é jogado para trás pela força do ataque do Cavaleiro de Sagita, que mira suas flechas na cabeça de Seiya. Maiya ataca Seiya novamente, desta vez o defensor de Atena é mais ligeiro e anula as flechas fantasmas com seus meteoros até atingir seu adversário. O Cavaleiro Fantasma é vencido, mas Seiya acaba sendo atingido por uma das flechas de Maiya bem abaixo do coração. O ferimento não parece ser muito grave e o Cavaleiro de Bronze prossegue sua busca.

  • Hyoga contra Kraisto de Cruzeiro do Sul

O Cavaleiro de Cisne encontra uma entrada por baixo do Santuário. Ao entrar pela passagem, chega a um anti-cômodo abaixo do Templo de Éris. Lá, encontra mais um dos Cavaleiros Fantasmas: Kraisto do Cruzeiro do Sul. Não há tempo para ficar conversando e os dois Cavaleiros partem logo para a briga. Hyoga aplica seu Pó de Diamante ao mesmo tempo que Kraisto ataca com seu Trovão do Cruzeiro do Sul. O golpe de Kraisto vara o peitoral da armadura de Cisne. Mesmo atingido, Cisne consegue congelar seu inimigo até o pescoço. Quando Hyoga preparava-se para eliminar o Cavaleiro Fantasma, surge Éris com seu tridente. O Cavaleiro de Bronze fica perplexo ao reconhecer aquela que um dia foi Eiri, por quem nutria profundos sentimentos. Infelizmente quem estava a sua frente era a perversa Éris. Enquanto Hyoga ainda estava em estado de choque, Kraisto se livra do gelo que recobria seu corpo e joga o defensor de Atena longe e já pula para cima dele. Para a surpresa de todos, Éris ataca seu tridente que perfura o Cavaleiro Fantasma pelas costas até rasgar o peito de Cisne, supostamente matando os dois. Após mais esse ato de maldade, Éris vira as costas e vai embora do local.

  • Shiryu contra Yan de Escudo

Seiya continua sua subida até onde está Saori, mas o Cavaleiro começa a sentir os efeitos da Flecha Envenenada de Sagita, que o atingiu. Seiya está meio tonto, desnorteado, mas segue em sua santa cruzada. Em outro local do Santuário de Éris é a vez de Shiryu enfrentar o Cavaleiro Fantasma Yan de Escudo. Esse Cavaleiro assemelha muito ao Cavaleiro de Dragão. Yan tem cabelos longos e sua armadura de Escudo dispõe de um poderoso escudo (que é do tamanho de todo o braço esquerdo dele). O escudo de Yan é mesmo poderoso, pois logo no primeiro ataque de Shiryu seu punho acaba sendo destruído. Em seguida Yan dá uma giratória que despedaça o escudo do Cavaleiro de Dragão. Nessa altura, Shiryu já tirou sua armadura e Yan está certo da vitória, mas o Cavaleiro treinado pelo Mestre Ancião surpreende seu adversário ao aplicar-lhe o Cólera do Dragão. Shiryu atravessa o coração do Cavaleiro Fantasma que cai morto no mesmo instante.

  • Shun contra Orfeu de Harpa

O Cavaleiro de Andrômeda continua escalando as ruínas do Santuário. Shun é atraído pela música de uma harpa. É Orfeu de Harpa que toca o instrumento musical à espera do Cavaleiro de Bronze. Enquanto Shun fica parado, Orfeu ataca. Seu golpe é disparado através das cordas de sua harpa, que se multiplicam e invadem o corpo do Cavaleiro de Atena. Quando Shun está prestes a desfalecer degolado, surge Ikki para salvar a pele do irmãozinho. Era melhor Orfeu ficar na dele, mas para a sua infelicidade, ele deixou o Cavaleiro de Fênix irado e levou o Golpe Fantasma, provocando alucinações nem um pouco agradáveis – o Cavaleiro de Harpa se vê queimando vivo no inferno.

Para a surpresa de Ikki, Orfeu se reestabelece e explica que o golpe do Cavaleiro de Fênix não surte efeito nele, afinal ele é um Cavaleiro Fantasma. Pior para o servo de Éris pois, agora Ikki o ataca com seu Ave Fênix e não sobra muito do Cavaleiro maligno para contar a história.

  • O Encontro com Éris

Seiya chega até a sala onde Saori está presa. Lá está Éris que agora se materializa em seu próprio corpo e dispensa o da meiga Eiri, que cai desacordada. O Cavaleiro de Pégaso continua sofrendo com o ferimento feito por Maiya e pior, ele terá que vencer mais um Cavaleiro Fantasma, Jaga de Orion. A luta mais uma vez se inicia. Seiya não tem visão perfeita por causa da flecha de Maiya, o Cavaleiro de Bronze nem consegue acertar seus meteoros no Cavaleiro Fantasma. Como é de costume Ikki aparece e compra a briga. Agora temos um combate de verdade. O Cavaleiro de Fênix dá um poderoso golpe aéreo em seu inimigo mas logo em seguida Ikki é atingido bem na cabeça e Jaga no estômago. A pancadaria não termina. Ikki dispara, contra Jaga, seu Ave Fênix em meio ao furacão de fogo, mas surpreendentemente, o Cavaleiro de Orion retruca com seu mais poderoso golpe, o Choque Megatômico de Meteoros. Ele se utiliza da própria energia do golpe desferido por Fênix, fazendo o mais velho dos Cavaleiros de Bronze voar longe e tombar desacordado.

Neste momento Seiya se levanta, mas não por muito tempo. O Cavaleiro de Pégaso é espancado por Jaga. Despertado pelo Cosmo de seus amigos, Seiya se levanta revoltado e logo trata de queimar seu Cosmo ao extremo atingindo o Sétimo Sentido. Ao atingir o sentido supremo dos Cavaleiros de Ouro, surge a Armadura Sagrada de Sagitário para auxiliar Seiya no combate. A deusa da discórdia conta seus planos de domínio da Terra e a imposição de seu império de Cavaleiros Fantasmas que se levantam de suas covas por ordem da malvada Éris. O Cavaleiro de Pégaso, trajando a Armadura de Sagitário, parte para cima de Éris, mas é impedido por Jaga. O Cavaleiro de Orion ataca Seiya com seu Choque Megatômico de Meteoros que é facilmente repelido pelo santo guerreiro, graças à poderosa Armadura de Ouro. Na sequência, Seiya manda Jaga de volta para o mundo dos mortos com um poderoso Cometa de Pégaso que despedaça o seguidor da deusa maléfica. Saori está quase morta. Éris continua a despertar cadáveres que levantam de seus caixões. Não há outra saída, Seiya tem que agir. O destemido guerreiro saca o arco e flecha de Sagitário e dispara a flecha de ouro que atravessa a cabeça de Éris e vara a maçã sem tocar no peito de Saori. É o fim do reino da discórdia de Éris, que é enviada para o mundo dos mortos.

O Santuário vem abaixo. Seiya e Ikki conseguem fugir do soterramento. Saori e os outros morreram? Claro que não, Saori protegeu todos com sua Cosmo-Energia, até todos surgirem dos escombros: Saori, Shun, Shiryu e Hyoga carregando Eiri em seu colo. É hora de colher os louros da vitória, afinal os Santos Guerreiros de Atena livraram mais uma vez a Terra e toda a humanidade da sombra do mal que nos ameaçava.